Isadora Jacoby

A ação pretende captar futuros compradores por meio da experiência

Teste-drive de moradia com influenciadores é aposta de construtora no RS

Isadora Jacoby

A ação pretende captar futuros compradores por meio da experiência

O marketing de influência impactou as estratégias de venda, inclusive no setor imobiliário. É com essa perspectiva que a Idealiza, empresa que atua na construção de edifícios e no desenvolvimento de bairros planejados com sede em São Paulo e Pelotas, apostou no test-drive de moradia como forma de atrair possíveis compradores. A ação foi feita com influenciadores digitais de Pelotas, cidade onde está sendo construído o Parque Una, bairro planejado de 18 hectares que terá 32 torres, com espaços comerciais e residenciais. 

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

O marketing de influência impactou as estratégias de venda, inclusive no setor imobiliário. É com essa perspectiva que a Idealiza, empresa que atua na construção de edifícios e no desenvolvimento de bairros planejados com sede em São Paulo e Pelotas, apostou no test-drive de moradia como forma de atrair possíveis compradores. A ação foi feita com influenciadores digitais de Pelotas, cidade onde está sendo construído o Parque Una, bairro planejado de 18 hectares que terá 32 torres, com espaços comerciais e residenciais. 
O empreendimento, que começou a ser comercializado em 2015, tem, no momento, 12 torres erguidas e um valor de venda total estimado em R$ 1,5 bilhão. Fabiano de Marco, sócio e cofundador da Idealiza Urbanismo e da Idealiza Verticais, acredita que os bairros planejados são uma alternativa ao estilo de vida contemporâneo, reunindo diferentes necessidades em um mesmo local. "O projeto tem conceito de novo urbanismo, inovação tecnológica, parque público, playground com design holandês, torres comerciais e residenciais, então é sustentável sob o ponto de vista de mobilidade", pontua.
Christian Bertuol/Idealiza/Divulgação/JC
Com imóveis que vão de R$ 60 mil até R$ 1,8 milhão, o empreendimento pretende atrair diferentes compradores. "O produto é diverso, tem apartamentos para diferentes públicos e momentos de vida", acredita Fabiano, defendendo que os bairros planejados são uma alternativa para quem quer usufruir das facilidades dos centros urbanos, mas não abre mão da segurança e do espaço, normalmente encontrados em regiões mais afastadas. "Quem mora no subúrbio, tem a sensação de segurança, a limpeza, o paisagismo, mas não tem a conveniência, a mobilidade urbana, diversidade de convívio. Quem está no centro, tem o caos da ausência estatal em coisas que, em uma cidade, são importantes, como limpeza, paisagismo, jardinagem, segurança, manutenção do mobiliário urbano. O bairro planejado oferece a cidade compactada, verticalizada, com segurança, paisagismo, manutenção de mobilidade urbana", pondera. 
Para mostrar esses pontos para os possíveis compradores, a Idealiza apostou no test-drive de moradia, ou test-live, como chamaram. A iniciativa foi realizada com influenciadores, com diferentes perfis e necessidades de moradia, da cidade de Pelotas. Os convidados passaram 24 horas no apartamento, usando a infraestrutura do bairro. "Uma coisa antiga que se fazia para as pessoas conhecerem eram os apartamentos decorados. Hoje em dia, a audiência está digital, não está analógica. Pensamos nessas pessoas que gostam da interação digital e aí surgiu a ideia. Mostramos na prática aquilo que os corretores explicam para os clientes, de que é legal morar e trabalhar no mesmo lugar. É a experiência que a gente vende para compra", destaca Fabiano. O modelo de venda, segundo ele, pode ser ampliado para outros profissionais além dos comunicadores, com o objetivo de chegar a outros públicos. "Estamos curiosos e instigados com a experiência. Acho que tem potencial para a ação ganhar outros formatos. Podemos convidar os corretores para experimentarem aquilo que vendem,  para dominar melhor o produto e relatar a experiência. Convidar clientes que ainda não se mudaram, arquitetos. Vamos vendo o que faz sentido", revela. 
O bairro planejado de Pelotas é um dos espaços desenvolvidos pela empresa, que tem atuação nacional. "Temos bairros planejados em Pelotas, Aracaju, Uberlândia e São José dos Campos. E condomínios fechados em Blumenau, Macapá, Boa Vista, Pelotas, Santa Maria e Rio Grande", enumera Fabiano. Segundo ele, o maior desafio do negócio é encontrar, em todo Brasil, locais que atendam as especificidades necessárias para esse tipo de projeto. "Temos uma equipe de novos negócios que procura áreas com essas características, que são bem peculiares. São áreas grandes demais para fazer prédios, e boas demais para fazer condomínio, e aí acaba se criando esse produto diferente que são os bairros planejados", afirma. 
Fabiano pontua que atuar no ramo dos bairros planejados exige paciência da empresa, que enfrenta um ciclo longo de construção e diferentes momentos da economia, o que impacta nas vendas. "A estimativa do Parque Una é que, do início até o fim, oscile entre 8 e 12 anos para ficar pronto", destaca Fabiano, revelando que o investimento na infraestrutura do parque, como abertura de ruas, foi de cerca de R$ 30 milhões. 
Idealiza/Divulgação/JC
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário