Vitorya Paulo

Sócios da Kreativ, de Porto Alegre, acreditam que publicidade tradicional já perdeu força

Empresa aposta em propagandas que não pareçam propagandas

Vitorya Paulo

Sócios da Kreativ, de Porto Alegre, acreditam que publicidade tradicional já perdeu força

As pessoas não gostam mais de propaganda nos formatos tradicionais. É nisso que acredita o publicitário Rafael Bohrer, 47 anos. Ao lado do também publicitário Tiago Russell, 44, e de Andres Rajchenberg, 44, formado em Ciências Jurídicas e Sociais, ele é sócio da Kreativ, empresa de Porto Alegre que se posiciona no segmento de criatividade e tecnologia. Lançado há quatro meses, o negócio visa desenvolver estratégias com diferentes metodologias e fazer com que a "propaganda não pareça propaganda".

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

As pessoas não gostam mais de propaganda nos formatos tradicionais. É nisso que acredita o publicitário Rafael Bohrer, 47 anos. Ao lado do também publicitário Tiago Russell, 44, e de Andres Rajchenberg, 44, formado em Ciências Jurídicas e Sociais, ele é sócio da Kreativ, empresa de Porto Alegre que se posiciona no segmento de criatividade e tecnologia. Lançado há quatro meses, o negócio visa desenvolver estratégias com diferentes metodologias e fazer com que a "propaganda não pareça propaganda".
Conforme explica Rafael, com passagem em agências durante sua carreira, ele foi percebendo que a publicidade, nos moldes antigos, foi deixando o gosto do público consumidor. "As pessoas assinam Netflix, Spotify e até o YouTube para não ter propaganda. Para os clientes, estar numa agência não é mais a menina dos olhos", acredita.
Porém, ainda se faz necessário criar produtos e serviços, mostrar seus diferenciais e aumentar as vendas. Para isso, segundo o publicitário, é possível pensar em diversas soluções. "Às vezes, o melhor não é um anúncio ou e-mail marketing mas, sim, um piquenique, uma exposição de arte", pontua, destacando que o que é importante, hoje em dia, é gerar assuntos e compartilhamentos.
A empresa, que trabalha com 15 profissionais atualmente, tem sede na rua Félix da Cunha, nº 1143, no bairro Moinhos de Vento. Projetos na área do setor imobiliário, esporte e luxo estão sendo desenvolvidos. O orçamento, segundo Rafael, é adaptável ao que o cliente pode pagar. "Custa o tamanho do sonho. Se ele quer conquistar Porto Alegre, custa isso. Se quer conquistar o Brasil, é outro sonho", afirma.
Vitorya Paulo

Vitorya Paulo - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Vitorya Paulo

Vitorya Paulo - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário