Luka Pumes

Rede está prestes a lançar produto digital para se aproximar de seu púbico

Supper Rissul completa 21 anos de atividades e aposta no delivery

Luka Pumes

Rede está prestes a lançar produto digital para se aproximar de seu púbico

São 38 lojas que funcionam com mais de 7 mil colaboradores, em 21 municípios. O número 21, também, representa a idade que o Supper Rissul acaba de completar. A rede de supermercados faz parte, desde 2006, da empresa multidisciplinar UnidaSul, originada a partir da fusão do antigo Comercial Rissul com o Comercial Unida. A rede detém, assim, o posto de segunda maior do Estado no segmento.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

São 38 lojas que funcionam com mais de 7 mil colaboradores, em 21 municípios. O número 21, também, representa a idade que o Supper Rissul acaba de completar. A rede de supermercados faz parte, desde 2006, da empresa multidisciplinar UnidaSul, originada a partir da fusão do antigo Comercial Rissul com o Comercial Unida. A rede detém, assim, o posto de segunda maior do Estado no segmento.
Nesta entrevista, o gerente de marketing da UnidaSul, Rafael Lubini, fala sobre o perfil do consumidor e as adaptações à realidade da pandemia. Além disso, comenta uma ação social realizada recentemente. A empresa criou a campanha Selfie do Bem, convocando os gaúchos a doarem suas selfies através do site www.selfiedobem.com.br. A ação beneficia a Rede de Bancos de Alimentos do Rio Grande do Sul e, a cada foto postada, o Supper Rissul doa R$ 5,00 para a instituição. A meta era chegar a R$ 150 mil em doações.
GeraçãoE - Quais as maiores conquistas do Rissul nesses 21 anos?
Rafael Lubini - Além da expansão da rede, com crescimento sólido, baseado no trabalho e na ética nas relações, estamos ano a ano construindo uma marca querida - como os próprios clientes relatam.
GE - Como é atuar no setor supermercadista em uma Capital que tem um concorrente tão forte?
Rafael - Ter concorrentes é sempre bom, pois a concorrência leal é sadia para o crescimento de todos, do segmento em geral. A corrida pela conquista do cliente faz com que as empresas estejam sempre em movimento e melhorando seus processos, recursos humanos e estrutura. A concorrência faz todos crescerem.
GE - Que mudanças o Rissul fez a partir da pandemia?
Rafael - O maior desafio foi a adaptação rápida às novas exigências. Foram criados protocolos em todas as esferas da organização para garantir a segurança no ambiente de trabalho e uma compra segura para os nossos clientes. Essa mudança desafia a todos pois, além de uma crise de saúde, que tem implicações econômicas, nos afeta psicologicamente. Este me parece o maior desafio que gerou novas posturas das empresas, visto que nunca passamos por algo com esta proporção. Não existiam procedimentos, cartilhas de como enfrentar tal crise. Contudo, a Unidasul, junto às vigilâncias sanitárias dos municípios onde temos lojas, ajudou a construir protocolos e planos de contingência que hoje servem de modelo.
GE - O perfil do consumidor com o coronavírus?
Rafael - O consumidor está mais atento às questões de assepsia, atento à higiene e à limpeza dos ambientes, não só comerciais, mas em casa também. Percebe-se uma mudança nos cuidados de higiene pessoal e de distanciamento social, além de uma aceleração na cultura digital. No nosso setor, os clientes estão indo menos vezes ao super, mas com compras maiores. Acreditamos que, juntos, todos precisamos fazer nossa parte para vencermos esta pandemia.
GE - Que novidades podes nos contar com exclusividade?
Rafael - Estamos lançando um produto digital para ficarmos mais perto dos nossos clientes, além de proporcionar compra através da modalidade de delivery.
GE - Como foi a ação beneficente de aniversário?
Rafael - Criamos a Selfie do Bem, uma ideia para comemorar de uma forma diferente o aniversário da rede. Nossa missão é levar às mesas das pessoas o alimento num momento tão delicado. Em uma crise de saúde com consequências mercadológicas e econômicas, tantas empresas, pequenos e grandes negócios encerrando atividades, desemprego, está faltando comida na mesa para famílias. Essa ação reforça nossa missão junto à comunidade e tem também a intenção de provocar uma corrente do bem, despertar movimentos solidários, sejam eles grandes ou pequenos. Precisamos unir esforços para todos seguirmos em frente.
GE - Qual as tendências de futuro do setor?
Rafael - Penso que os protocolos de atenção e cuidados com higiene serão os legados e mais pontualmente uma mudança de consumo local e virtual.
 
Luka Pumes

Luka Pumes - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Luka Pumes

Luka Pumes - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário