A esperança que as coisas melhorem amanhã ou depois paralisa

Pare de ser otimista


A esperança que as coisas melhorem amanhã ou depois paralisa

O GeraçãoE iniciou, na semana passada, uma série de entrevistas através do Zoom que serão divulgadas em diversos formatos em breve - inclusive por aqui. Na estreia, conversamos com a sócia da Cacau Show, Carolina Kechinski, e com o professor da Escola Politécnica da Pucrs, Rafael Chanin. Uma das frases mais impactantes da conversa foi: "pare de ser otimista".

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

O GeraçãoE iniciou, na semana passada, uma série de entrevistas através do Zoom que serão divulgadas em diversos formatos em breve - inclusive por aqui. Na estreia, conversamos com a sócia da Cacau Show, Carolina Kechinski, e com o professor da Escola Politécnica da Pucrs, Rafael Chanin. Uma das frases mais impactantes da conversa foi: "pare de ser otimista".
Dita, primeiramente, por Carolina, e depois endossada por Rafael, a sugestão é para aquelas pessoas que acreditam que amanhã, na semana que vem ou em julho a vida voltará ao normal. Essa esperança, segundo os nossos entrevistados, paralisa. E isso não é bom.
Os empreendedores e empreendedoras precisam agir baseados no cenário real, que é o presente. Hoje, a verdade é de períodos com o comércio aberto oscilando com outros de portas fechadas. Tudo depende da ocupação das UTIs, enfim, da capacidade de atendimento de saúde, tão devastada pelo coronavírus.
As vendas e a entrega da experiência, portanto, não podem depender da loja física neste momento. Depois de mais de três meses imersos na pandemia, não podemos mais adiar as alternativas para continuar operando. O grande desafio está em onde encontrar soluções. Carolina acredita que elas estejam nas ideias sugeridas por sua equipe, sua família e pelos jovens que convivem com você.
#adiante

Deixe um comentário