Fernanda Crancio

Com incentivo da esposa, Alexandre Rodrigues criou a Amor de Pão e comercializa produtos recheados de afeto, na Capital

Em meio à pandemia, empreendedor transforma fornada de pães caseiros em oportunidade

Fernanda Crancio

Com incentivo da esposa, Alexandre Rodrigues criou a Amor de Pão e comercializa produtos recheados de afeto, na Capital

Em tempos de pandemia, muitos profissionais tiveram de se reinventar e transformar o isolamento forçado em oportunidade para novos negócios. Foi assim com o administrador Alexandre Fagundes Rodrigues, 42 anos, que viu no interesse pela gastronomia uma possibilidade de empreender em meio à crise.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Em tempos de pandemia, muitos profissionais tiveram de se reinventar e transformar o isolamento forçado em oportunidade para novos negócios. Foi assim com o administrador Alexandre Fagundes Rodrigues, 42 anos, que viu no interesse pela gastronomia uma possibilidade de empreender em meio à crise.
Recém-desempregado e em quarentena no apartamento que divide com a esposa Andréa Santini e a enteada, na Zona Sul de Porto Alegre, ele resolveu testar receitas de pães, pesquisou na internet e se aventurou na primeira fornada de pães rústicos. O resultado encantou a família não apenas pelo sabor, mas pela beleza.
Surpresa com a qualidade do produto, Andréa postou fotos no grupo da família no WhatsApp e, diante dos elogios e pedidos de receitas, encorajou Rodrigues a seguir com os testes.
No dia seguinte, a fornada foi de pão caseiro. Postagens nas redes sociais despertaram interesse de amigos e, assim, surgiu a Amor de Pão. “Postava fotos e as pessoas já começavam a pedir pelos pães. Aí surgiu a ideia: vamos fazer para vender. O Alexandre estava desempregado no momento, já vínhamos ensaiando abrir um negócio no ramo da alimentação, que é um ponto forte dele, e assim criamos a empresa”, conta a bancária.
Com cardápio improvisado de última hora e receitas tiradas da internet, o primeiro dia de testes na rua resultou na venda de 20 pães, surpreendendo o casal. Com a procura pelo produto, Rodrigues começou a diversificar as receitas e ampliar o leque de opções. Os carros chefes são os pães caseiros, veganos, rústicos, integrais, de abóbora e de beterraba, mas opões de bolos, sonhos, brownies, baguetes recheados e até pastéis passaram a integrar o cardápio de produtos. A produção é toda feita por ele, que, conforme o número de pedidos recebidos no dia anterior, madruga para colocar a mão na massa e entregar as fornadas durante o dia.
As encomendas são feitas via WhatsApp e os produtos expostos em uma página no Instagram, onde Andréa monta os cenários, fotograva e cuida das postagens. Atualmente, com pouco mais de um mês de criação do negócio, a média de vendas fica em torno de 50 pães por semana, além dos demais produtos. “Estabelecemos as terças, quintas e sábados para as entregas, para nos organizarmos, mas não deixamos de atender quem faz pedido fora desses dias”, explica o padeiro.
Segundo Rodrigues, o investimento inicial foi de R$ 500,00 para a aquisição de insumos, formas e embalagens, e a produção toda é feita na cozinha do apartamento onde moram. “A gente até acha graça, pois a produção toda rola em um apartamento de 60 metros quadrados, em um fogão de quatro bocas. Nossa ideia é investir mais, claro, mas ainda estamos no começo e nos planejando”, relata.
O nome da empresa foi escolhido por acaso, a partir do feedback positivo dos amigos e conhecidos, que viraram clientes fixos. “Nos diziam que os pães tinham gosto de infância, de carinho, lembravam o pão feito pelas avós e remetiam à família. Então, Amor de Pão soou bacana pra nós, criamos uma logomarca caseira mesmo e aí estamos”, relata o empreendedor.
Sempre com apoio e ajuda da esposa, Rodrigues apostou ainda em tornar a entrega dos pães uma experiência diferenciada e passou a embalá-los em papel manteiga e dentro de tradicionais sacos de papel, 'estilo mercado de antigamente'. Fazendo jus ao nome da empesa, Andréa passou a escrever recados carinhosos nas embalagens dos produtos, que são entregues quentinhos e pessoalmente pelo casal na porta dos clientes dos bairros mais próximos da Zona Sul. Para entregas mais distantes, a parceria com motoristas de aplicativos também já foi testada e aprovada. “Fazemos tudo com muito carinho para entregar nosso melhor. Queremos que os clientes, mesmos os fixos, tenham uma excelente experiência ao receber o produto, com toda a atenção merecida, como se fosse a primeira vez”, destaca Rodrigues.
Para ele, o atual momento de reclusão, combinado com a saída do emprego, foi decisivo para colocar o sonho latente de empreender em prática. A dica para quem também planeja transformar um habilidade em negócio é “arregaçar as mangas e tentar”. “Sempre tive vontade de trabalhar na área da alimentação e estou gostando muito. Pretendo estudar gastronomia e seguir nessa área. A Andréa tem um espírito empreendedor e me incentivou a colocar tudo isso em prática. Estar em casa, na quarentena, foi o impulso que faltava pra começar o meu negócio”, avalia.

SERVIÇO:

Amor de Pão
Pedidos: (51) 99968-0085

Deixe um comentário