Isadora Jacoby

A dupla Double Face já arrecadou mais de duas toneladas de alimentos

Banda faz shows em condomínios para entreter isolados em Porto Alegre

Isadora Jacoby

A dupla Double Face já arrecadou mais de duas toneladas de alimentos

A orientação de distanciamento social afetou diversos segmentos. O mercado da música, que tem a reunião de pessoas como base, foi diretamente impactado. Os irmãos Thiago e Diego Massimino, 32 e 31 anos, relativamente, são os nomes da dupla pop Double Face (@oficialdoubleface) e viram seu projeto, retomado em setembro de 2019, desacelerar em função da pandemia. "Nós tínhamos a banda há muito tempo, mas lá por 2014 resolvemos encerrar as atividades. Fui estudar Cinema e o Diego, Tecnologia da Informação. No meio do ano passado, decidimos voltar a tocar. Lançamos nossa primeira música em setembro. Tivemos uma média de 25 mil plays semanais no Spotify", conta Thiago. Em fevereiro deste ano, a dupla lançou sua segunda música de trabalho e se preparava para gravar o clipe quando precisaram parar com as suas atividades. Em um primeiro momento, adiantaram algumas produções, mas viram que não teriam como dar continuidade ao projeto durante a quarentena. 

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

A orientação de distanciamento social afetou diversos segmentos. O mercado da música, que tem a reunião de pessoas como base, foi diretamente impactado. Os irmãos Thiago e Diego Massimino, 32 e 31 anos, relativamente, são os nomes da dupla pop Double Face (@oficialdoubleface) e viram seu projeto, retomado em setembro de 2019, desacelerar em função da pandemia. "Nós tínhamos a banda há muito tempo, mas lá por 2014 resolvemos encerrar as atividades. Fui estudar Cinema e o Diego, Tecnologia da Informação. No meio do ano passado, decidimos voltar a tocar. Lançamos nossa primeira música em setembro. Tivemos uma média de 25 mil plays semanais no Spotify", conta Thiago. Em fevereiro deste ano, a dupla lançou sua segunda música de trabalho e se preparava para gravar o clipe quando precisaram parar com as suas atividades. Em um primeiro momento, adiantaram algumas produções, mas viram que não teriam como dar continuidade ao projeto durante a quarentena. 
Longe dos palcos, Thiago teve a ideia de usar o show como uma maneira de entreter as pessoas que estão isoladas em casa. Vizinhos no mesmo condomínio, os irmãos pediram autorização para o síndico e fizeram na área da piscina de seus prédios a primeira apresentação desse formato. "Montei um flyer e coloquei no grupo do condomínio. Não tínhamos estrutura nenhuma. Pegamos as caixas de som que a gente tinha em casa, microfone de karaokê. Foi um sucesso e arrecadamos 150 kg de alimentos", lembra Thiago.
Depois de 10 apresentações, a dupla já arrecadou mais de duas toneladas de alimentos, que são doados para as instituições Cozinhar e Servir, Alimentar Sonhos, Acompar, Ajude a Graxa RS e AssmuRS, e conquistou diversos parceiros para a empreitada. "Dois dias após o show, o Marcelo Ely, diretor CP Imóveis, imobiliária da Zona Norte de Porto Alegre, entrou em contato sugerindo que levássemos a ideia para outros condomínios da região. A partir daí, temos tocado todos os fins de semana", destaca Thiago. A agenda de shows nos condomínios passou, então, a ser organizada pela imobiliária. Outro parceiro importante para continuidade do projeto foi a Project Som, empresa especializada em materiais e sonorização para eventos. "Conseguimos consolidar esse evento de uma maneira mais estruturada. É uma ação beneficente. Levamos um pouco de entretenimento para quem está isolado e arrecadamos alimentos para quem está precisando", acredita o músico, destacando que o projeto não para de ganhar apoiadores. "Tocamos no condomínio do fotógrafo Vinni Oliveira, da Simple Pix, e ele se interessou em ajudar para termos imagens de melhor qualidade. Começou muito no braço e, hoje, são vários parceiros envolvidos que acabam enriquecendo a iniciativa." 
DOUBLEFACE/DIVULGAÇÃO/JC
O projeto não tem nenhum custo para o condomínio, que deve, apenas, fornecer o espaço e a energia para que a estrutura seja montada. O show, com duração de 1h30min, é composto pelas músicas autorais do duo e também por covers de bandas nacionais. "Tem Vitor Kley, Melin, Vitão, Projota, Anavitória, Lulu Santos, Tim Maia, Capital Inicial, Jota Quest. Tocamos músicas de bandas daqui, como Armandinho, Cidadão Quem, Chimarruts", pontua Thiago, que revela que as músicas que mais emocionam o público que assiste às apresentações através das janelas e sacadas dos prédios são Dias Melhores, do Jota Quest, e Dia Especial, do Cidadão Quem. 
Mesmo que os shows não tenham fins lucrativos para a Double Face, os irmãos já enxergam os resultados positivos da ação. "Não sabemos o que estaríamos fazendo se não fosse isso. Muita gente está nos conhecendo, ganhamos mais de 500 seguidores orgânicos nas redes sociais. É uma troca: as pessoas nos conhecem, nós melhoramos a nossa performance, e ajudamos quem precisa. Vai demorar muito para o entretenimento, para a música, voltar ao normal, então estamos vendo isso como um laboratório", finaliza Thiago. 
DOUBLEFACE/DIVULGAÇÃO/JC
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário