Isadora Jacoby

Com muitos negócios de portas fechadas, as redes sociais são alternativa para continuar faturando

Como usar as redes sociais para manter as vendas durante o coronavírus

Isadora Jacoby

Com muitos negócios de portas fechadas, as redes sociais são alternativa para continuar faturando

As restrições a fim de conter a transmissão do novo coronavírus implicam no fechamento de muitos negócios físicos. Neste contexto, as redes sociais se fazem ainda mais importantes para manter a marca próxima dos clientes.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

As restrições a fim de conter a transmissão do novo coronavírus implicam no fechamento de muitos negócios físicos. Neste contexto, as redes sociais se fazem ainda mais importantes para manter a marca próxima dos clientes.
Marina Baumel e Nara Pinski, sócias da Cia. Empreendedora, empresa de São Paulo que promove o networking entre mulheres e oferece serviços de aprimoramento de desempenho em redes sociais, estiveram em Porto Alegre na última quinta-feira e destacaram a importância das plataformas digitais para o bom resultado de um negócio. Em meio a crise do coronavírus, Nara pontua que é um momento chave para apostar na produção de conteúdo.
As pessoas estão em casa e, principalmente, na internet. É a hora de produzir conteúdo e mostrar que tenho autoridade no assunto. Pode ser conteúdo sobre meu ramo, sobre meu produto, mercado, sobre o serviço que presto. Tem uma infinidade de coisas que posso contar sobre minha empresa, meus colaboradores, que podem ser interessantes para os meu cliente neste momento”, acredita.
A especialista ainda destaca que as informações sobre coronavírus devem ficar com os órgãos responsáveis e com profissionais que tenham autoridade para abordar o assunto. Já os demais empreendedores devem comunicar aos clientes as ações que estão adotando. “Se meu estabelecimento ainda está aberto, posso, por exemplo, lembrar que tenho área ao ar livre, contar que distanciei as mesas umas das outras para os clientes não terem contato. Posso falar sobre a higiene que foi adotada no meu estabelecimento, reforçar que tenho tele-entrega”, expõe.
No entanto, mesmo quando as operações retomarem sua normalidade, é importante perceber as redes sociais como uma maneira de potencializar seu negócio. “É preciso ter calma. Não se faz um prédio de um dia para outro. Ter um bom desempenho nas redes sociais demanda paciência e muita dedicação”, salienta Marina. Para isso, confira seis pontos que as sócias consideram fundamentais para vender e captar mais clientes por meio do Instagram.
1 - Fotos e vídeos
Para a dupla, a meta que os empreendedores devem ter em mente na hora de produzir uma imagem para as suas redes é “como parar o dedo do meu cliente”. Por isso, as fotos e vídeos devem ter qualidade, para transmitirem, de forma clara, os serviços e produtos oferecidos pela empresa. Duas dicas para conseguir ter um melhor resultado são não usar montagens, e sim o carrossel de imagens, e destacar a informação no centro da foto. Ainda, elas pontuam que os vídeos têm 34% mais interações que as imagens estáticas, por isso devem ter a atenção das empresas.
2 - Biografia
O espaço disponível para apresentação da marca no Instagram deve ser usado para destacar o diferencial em relação a outros profissionais. É preciso colocar contatos e usar hiperlinks que direcionam para telefone, WhatsApp, e-mail. O espaço é o único na rede em que é permitido usar link, por isso é tão importante, afirmam as especialistas. Além disso, os destaques, que ficam abaixo, devem ser usados para elencar serviços e produtos oferecidos.
3 - Hashtags
Para ter um bom resultado usando hashtags, é preciso seguir algumas premissas. Não escrever frases longas é a primeira norma. As especialistas pontuam que é necessário buscar palavras-chave que tenham diferentes números de publicações relacionadas. Ou seja, é importante usar uma de grande alcance, que faça muito sentido para o negócio, mas também atentar para as com menos publicações. Nestas, o post da tua marca tem mais chance de estar bem colocado na hora que o cliente for explorar a palavra-chave. As dicas finais sobre o uso de hashtags são: usar de 10 a 15 palavras-chave por foto, colocar as tags no primeiro comentário da publicação e usar, preferencialmente, palavras em português, que sejam próximas do consumidor final.
4 - Stories
Mais de 500 milhões de usuários do Instagram assistem os stories diariamente. As publicações, que ficam disponíveis por 24 horas, são usadas por 34% das empresas que estão na rede para fazer promoções. Marina e Nara destacam que os stories mais vistos são de contas comerciais. Isso mostra que o público está interessado em consumir esse tipo de conteúdo das marcas que gosta. Aqui, é importante utilizar as funções disponibilizadas pela plataforma (enquetes, perguntas, testes) para interagir e compreender as demandas dos clientes.
5 - Diversificação de conteúdo
Como todas as marcas estão mostrando seus produtos nas redes sociais, é preciso fazer mais para chamar atenção. As especialistas afirmam que as pessoas querem conteúdo. O Instagram deve ser usado para humanizar a marca, mostrar os bastidores, explorar os detalhes de produção e mostrar a rotina da empresa. Nara pontua que 70% das publicações devem mostrar as novidades, backstage, as inspirações da empresa. Os serviços oferecidos devem ocupar apenas 10% das publicações. Os outros 20% devem ser destinado a posts como testemunho de clientes e feedbacks.
6 - Relacionamento com o cliente
Um dos erros mais graves nas redes sociais, para Nara, é não interagir da maneira correta com os clientes. “Não responder comentário, direct, não dar atenção para o cliente, é muito grave. Alguém ir na tua publicação, fazer um comentário e não ter resposta é a mesma coisa que o cliente ir até uma loja física, falar bom dia para a atendente, e ela virar de lado e não responder. É a mesma situação, só que no meio digital”, afirma. As redes sociais são um termômetro para medir a satisfação dos clientes. Por isso, é importante usar o canal como uma forma efetiva de comunicação, não só antes da venda, como no momento após.
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário