Luka Pumes

Proprietária da Casa da Bruxa Philomena investiu aproximadamente R$ 20 mil para concretizar a novidade em Porto Alegre

Airbnb inspirado em Harry Potter é opção não só para turistas na Capital

Luka Pumes

Proprietária da Casa da Bruxa Philomena investiu aproximadamente R$ 20 mil para concretizar a novidade em Porto Alegre

Pegue suas malas que o Expresso está pronto para sair em direção a Hogwarts. Fãs de Harry Potter entenderão a brincadeira, mas a verdade é que trata-se de outro destino: a rua Luiz Afonso, nº 362, na Cidade Baixa. O local, que está disponível para aluguel na plataforma Airbnb, é novidade na Capital para quem quer passar por uma imersão no universo do bruxo.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Pegue suas malas que o Expresso está pronto para sair em direção a Hogwarts. Fãs de Harry Potter entenderão a brincadeira, mas a verdade é que trata-se de outro destino: a rua Luiz Afonso, nº 362, na Cidade Baixa. O local, que está disponível para aluguel na plataforma Airbnb, é novidade na Capital para quem quer passar por uma imersão no universo do bruxo.
A publicitária Larissa Guedes Philomena, 28, é a responsável pela ideia, que virou realidade em novembro e que leva o sobrenome da família paterna. "É uma homenagem de certa forma. Decidi chamar de 'Casa da Bruxa Philomena' porque esse lugar é do meu avô. Vai ficar para o meu pai e depois, oficialmente, para mim", explica Larissa.
O local, no entanto, estava fechado há mais de 10 anos. A casa já funcionou como moradia para famílias e negócios gastronômicos. Larissa pensou em fazer um café, mas mudou de ideia ao conhecer outro empreendimento baseado em Harry Potter: o Café Sala Precisa.
"Fiquei três meses articulando o que fazer, nove meses limpando e pintando junto aos meus familiares porque estava um cenário apocalíptico. Funcionar como Airbnb é prático, não precisa de funcionários, eu mesma preparo tudo", garante Larissa, que mora no andar de cima da residência.
LUIZA PRADO/JC
A empreendedora é muito fã do personagem e isso fica evidente ao entrar no local. Há referências por todas as partes. Algumas óbvias e outras que demonstram o cuidado e carinho de alguém que realmente dissecou a saga. As paredes têm quadros, os móveis são rústicos e nem as gavetas escaparam de guardar alguns segredos.
Para caracterizar os cômodos, o investimento foi de R$ 20 mil. Larissa conta que a quantidade de elementos colecionados ao longo dos anos facilitou na hora de montar o ambiente.
"Leio, vejo e sou apaixonada desde os 11 anos. Muitas coisas que trouxe para cá são da minha coleção. Dói um pouco deixar aqui, mas eu sei que é necessário compartilhar a experiência. Já ter muitas coisas e o imóvel ser da família me ajudou bastante."
A Casa da Bruxa Philomena está recebendo visitantes, na maioria dos casos, entre 20 e 30 anos que querem "fugir da rotina", segundo Larissa. O balanço aponta que os porto-alegrenses procuram a experiência como uma forma de passeio, transcendendo, assim, a questão da hospedagem. Ensaios fotográficos também foram realizados por ali.
LUIZA PRADO/JC
Sobre elementos nem tão bruxos assim, Larissa demonstra seu esforço para torná-los mais mágicos.
"Tem as coisas legais que a gente bota porque são bonitinhas e combinam e as outras que são necessárias, que não podem faltar. Como estamos em Porto Alegre, faço questão de deixar uma cuia e um pote com erva-mate. Mas tentei deixar o mais bruxo possível, colocando descrições nos temperos como 'semente de mandrágora' para pimenta e 'flor de mandrágora' para orégano, por exemplo."
A hospedagem acomoda quatro pessoas e conta com uma área para jogos com aros de quadribol e uma simulação da característica Plataforma 9 . A hospedagem custa R$ 250,00.
LUIZA PRADO/JC
Luka Pumes

Luka Pumes - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário