Vitorya Paulo

Data de promoções oriunda dos Estados Unidos se consolida entre os brasileiros e entra na agenda das pequenas e médias empresas

Como pequenos empreendedores podem aproveitar a Black Friday

Vitorya Paulo

Data de promoções oriunda dos Estados Unidos se consolida entre os brasileiros e entra na agenda das pequenas e médias empresas

Pela quantidade de propagandas que se vê por aí, dá para dizer que a Black Friday está consolidada na agenda do varejo brasileiro. Criada nos Estados Unidos, a data de torra-torra de estoque pode ser sinônimo de oportunidade até para pequenos empreendedores. Os descontos são ofertados na última sexta-feira de novembro, ou seja, amanhã. No entanto, há quem aproveite o mês inteiro para atrair a clientela e fidelizar o público. É o caso da loja de moda autoral ST50, de Novo Hamburgo.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Pela quantidade de propagandas que se vê por aí, dá para dizer que a Black Friday está consolidada na agenda do varejo brasileiro. Criada nos Estados Unidos, a data de torra-torra de estoque pode ser sinônimo de oportunidade até para pequenos empreendedores. Os descontos são ofertados na última sexta-feira de novembro, ou seja, amanhã. No entanto, há quem aproveite o mês inteiro para atrair a clientela e fidelizar o público. É o caso da loja de moda autoral ST50, de Novo Hamburgo.
No empreendimento, uma peça por semana entrou no corte de custos em novembro. Há itens por R$ 9,90. Segundo a empreendedora Gabriela Moura, que assina os modelos, o negócio completa um ano no dia 30, e a comemoração casará com a Black Friday. "Vou colocar algumas peças com até 70% de desconto", revela.
Como estratégia para as promoções-relâmpago, Gabriela usa a ferramenta Story do Instagram. "Posto bem cedo, pela manhã, ou no fim da noite anterior", afirma. Além disso, ela utiliza listas de transmissão no WhatsApp para enviar as informações dos descontos, mas seus objetivos vão além. "Quero criar uma base de dados, com as preferências de gosto e tamanho, para fazer ações maiores", projeta.
Apenas entre outubro e novembro, a empreendedora viu um crescimento de 50% nas vendas, influenciadas, acredita, pelos descontos. "Outubro foi complicado e parado pela questão da temperatura. Fazia frio, fazia calor. Agora, em novembro, as pessoas sabem que querem comprar biquíni e roupas de verão", avalia.
Para Gabriela, a Black Friday serve para se aproximar da clientela e fazer com que novas pessoas conheçam a loja. E, como o segmento da roupa tem muita concorrência, é o período de se destacar pelo apelo financeiro.

Brechó desloca dia do desconto para abocanhar o 13º

Outra estratégia para aproveitar a Black Friday é deslocar a data e adaptá-la para o próprio público. O Brechó Perk (rua General Lima e Silva, nº 776) fará promoção de 50% em todas as peças no sábado, em vez de sexta-feira. A sócia Paula Ferreira diz que a ideia mira o fim de semana de bolso cheio da clientela, com o pagamento do 13º salário. "Nesse dia, vou abrir a loja às 12h, em vez das 10h30min, para causar ainda mais expectativa", afirma, prevendo zerar o estoque.
Para aproveitar a fachada de vidro do estabelecimento de 220 metros quadrados, que antes abrigava uma hamburgueria, Paula usará uma faixa preta, ideia inspirada em outros empreendimentos, para causar curiosidade em quem passar pela rua.
"A pessoa nem sabe o que tem dentro, mas ela quer entrar", brinca. Divulgações de prévias da promoção começaram no início do mês pelo Instagram, plataforma utilizada pelo brechó desde o seu surgimento, há um ano. O negócio, aliás, começou apenas no digital e, após dois meses de operação virtual e percepção de demanda, apostou no ponto off-line.
Hoje, a marca contabiliza quase 7 mil seguidores na plataforma. "Antes de abrir a loja física, 99% das vendas eram pela rede social", afirma. A empreendedora também faz listas via WhatsApp com uma cartela de 200 clientes para divulgação das peças.
"Por ali, as pessoas recebem as ofertas antes de serem publicadas no Instagram", revela. Para Paula, essa estratégia de exclusividade faz com que as clientes se sintam especiais. "Sempre trabalhei com vendas. É o que sei fazer", conta, ansiosa para a sua segunda Black Friday.
 

Pode se empolgar, mas preste atenção

Estratégia, responsabilidade e divulgação. Esses são os três pilares essenciais para o sucesso das pequenas empresas na Black Friday, diz a técnica de atendimento do Sebrae-RS de Porto Alegre, Carolina Niederauer. Para ela, a data é considerada importante para fazer a economia girar.
A Black Friday pode servir como um meio de renovar o estoque do negócio ao colocar em promoção aqueles produtos que têm pouca saída ou que estão parados há algum tempo. "Mas não pode, simplesmente, disponibilizar tudo na data e não ter nada na segunda-feira", destaca a técnica.
É nessa hora que entra o olhar estratégico da gestão, que deve conhecer a fundo a realidade do seu empreendimento e onde ele está inserido. "Não pode se comparar com os grandes negócios. Os pequenos empreendedores têm vantagem por estarem dentro dos bairros, conhecerem as pessoas que frequentam o comércio", analisa.
Nesse sentido, a técnica ressalta a importância de investir na divulgação das promoções. "O consumidor não é adivinho. Tem que trabalhar a vitrine, sensibilizar pelas redes sociais", orienta, sobre meios de baixo custo.
Além da lista de clientes no WhatsApp e da decoração da loja com indicação dos descontos, o tradicional "boca a boca" é indispensável.
"São algumas das saídas sem custos para quem empreende", pontua.
Carolina também alerta que o consumidor geralmente está preparado contra fraudes. "É uma pessoa informada, que está muito atenta e quer que as empresas tenham respeito", pontua.
Por isso, para ela, a seriedade com a Black Friday é imprescindível, pois, só assim, a promoção se torna vantajosa para ambos os lados. Ou seja, pode ser proveitosa para os empreendedores que se atentarem a ter responsabilidade e estratégia nos seus negócios, mirando, sobretudo, a permanência dos clientes que conhecerem o estabelecimento a partir da promoção.

10 dicas para acabar com o estoque

As sugestões são de Felipe Rodrigues, especialista em e-commerce

1 Verifique seu estoque e se certifique quanto à disponibilidade de produtos.

2 Tenha sempre em mente que essa é uma oportunidade para atrair e conquistar novos clientes - aqueles que não conhecem a loja ou que não compravam nela anteriormente.

3 É importante ter um time de atendimento preparado para sanar dúvidas e auxiliar os clientes no momento de efetuar as compras.

4 Atenção ao preço dos produtos. O consumidor está atento e pesquisando os itens que quer adquirir. Garanta que o desconto será real.

5 Também é importante tomar cuidado com o valor do frete. Não adianta oferecer desconto no produto e embuti--lo no frete. Não tente enganar o consumidor.

6 Seja transparente. Se determinado produto em promoção for de uma coleção anterior, deixe isso claro.

7 Faça comunicações inteligentes. Avalie o histórico de compras de quem já é cliente da sua loja e, se possível, ofereça produtos relacionados na Black Friday com descontos especiais para esse consumidor específico. Ele se sentirá prestigiado e lembrado pela loja.

8 Trabalhe com seu time para fazer com que a Black Friday seja positiva para todos e para que sua loja não se enquadre entre as marcas que fazem "Black Fraude". Uma reputação manchada dificilmente é recuperada.

9 Faça benchmarking. Analise e entenda em que aspectos é possível melhorar a atuação da sua loja a fim de oferecer atendimento de qualidade ao seu cliente.

10 Por fim, avalie se é viável para a sua empresa fazer uma "Black Week" ou "Black Month" e só aposte nisso se realmente houver estrutura.

Deixe um comentário