Taís Dal Bello e Dirceu Baccin comandam as atividades no local O alojamento para funcionários fica na sede administrativa, em Farroupilha Foto: LUIZA PRADO/JC

Para disseminar cultura da empresa, Colombo constrói hotel para funcionários em treinamento

O espaço acomoda até 28 pessoas para as capacitações presenciais

A padronização do atendimento é uma preocupação para as redes de lojas. O cliente espera chegar na unidade, independente da cidade, e encontrar as mesmas referências. Para padronizar as suas operações, as Lojas Colombo estão investindo em diferentes frentes de treinamento para seus funcionários. Neste ano, a rede de varejo criou um hotel que fica em sua sede administrativa, em Farroupilha, na Serra Gaúcha. O espaço acomoda até 28 pessoas para as capacitações presenciais.
“A ideia foi do Adelino Colombo, fundador da companhia. Em um primeiro momento, pareceu que não era possível, mas hoje faz todo sentido. Os funcionários ficam em uma imersão, mais próximos”, acredita Taís Dal Bello, supervisora de Recursos Humanos da empresa. O objetivo de acomodar os funcionários na sede é, além da praticidade, proporcionar que os colaboradores conheçam a realidade de trabalho de seus colegas. “Tem uma sala de convivência, então ali eles acabam trocando experiência. Em um hotel, fica cada um no seu quarto. Quando manda para um hotel, você não tem esse carinho com o funcionário.”
LUIZA PRADO/JC
A iniciativa faz parte de um movimento da companhia de aproximação de seus mais de 4 mil colaboradores distribuídos em 250 lojas nos estados da região Sul. “Muito se fala em transformação digital e estamos investindo nisso. Mas também sentimos a necessidade de ser analógicos. Percebemos que o digital não supre todas as necessidades dos nossos colaboradores. Nós temos a universidade de ensino à distância e também estamos desenvolvendo o RH Digital, que será um aplicativo. Investir no digital nos possibilita nos aproximar de um outro lado dos funcionários”, pondera Dirceu Baccin, diretor administrativo das Lojas Colombo.
Durante cinco dias, os funcionários recebem um treinamento teórico e prático no local. Durante as aulas, eles são apresentados ao PAC, Padrão de Atendimento da Colombo. Para colocar em prática os ensinamentos, o espaço destinado ao aperfeiçoamento dos colaboradores conta com uma loja-laboratório, onde os vendedores treinam desde a abordagem ao cliente até a negociação. Além disso, trazer os funcionários até o berço da empresa é uma maneira, acredita Baccin, de aproximá-los da cultura da marca. “Além de passar conhecimento técnico, acaba trazendo para o colaborador a cultura da empresa, possibilita que ele conheça os diretores, o presidente. São poucas empresas no Brasil que dão oportunidade para o colaborador com 30 dias de casa conversar com o presidente, com a diretoria.”
LUIZA PRADO/JC
A vivência com colegas de outras unidades é, segundo Taís, um momento único de troca de experiências. “Elaboramos esse treinamento com base nos programas que já aconteceram. Acompanhamos o pós-treinamentos e percebemos que os vendedores têm mais resultado de vendas. Voltam motivados.” Além do treinamento para vendedores, os gerentes das unidades também passam por uma imersão de três dias com foco em liderança. “Para manter a motivação após o treinamento entra o gerente. Por isso também os capacitamos, porque é um papel muito importante”, acredita Taís.
LUIZA PRADO/JC
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio