Sobre o Autor
Aline Wolff é Jornalista, Assessora de Imprensa, Coach de Comunicação e especialista em Marketing Foto: /MARCELO ANDRADE/DIVULGAÇÃO/JC

Aline Wolff

Jornalista, Assessora de Imprensa, Coach de Comunicação e especialista em Marketing

Liderança feminina e comunicação eficaz com assessment

Mulheres independentes e empoderadas tendem a desenvolver a sua liderança em todos os setores da vida. Elas são líderes de si mesmas e, mais do que isso, estão em crescente qualificação no mercado. Qualificação essa que as posiciona como gestoras de empresas e equipes. E, a respeito de gerir equipes, elas caminham para a equação ideal que equilibra feedbacks positivos e funcionais com energia e compaixão. Para facilitar no processo de liderança de grupos, elas vêm utilizando ferramentas aprimoradas no Brasil e no mundo de análises comportamentais, porque entendem que o detalhe, o refinamento e as informações assertivas desenvolvem mais o humano e, logo, os resultados.
A mulher tem uma visão de liderança mais que prática, mais que racional. Ainda que ela venha trabalhando nas últimas décadas o fortalecimento desses vieses naturais masculinos, tem o dom da compaixão. Ou seja, a simpatia e o altruísmo que estão agregando valor aos modelos contemporâneos de gestão. Enquanto o homem busca entender o olhar do outro, a mulher busca a força. Ambos - que bom - caminham para a prosperidade do equilíbrio. Para ser justa e, ao mesmo tempo, oportunizar o desenrolar das habilidades de cada integrante de sua equipe dentro de uma empresa, o refinamento feminino testemunha a importância das ferramentas assessment, que são avaliações de competências visando conhecer o perfil de cada profissional. São modelos hoje disponíveis no mercado, já convencionalmente utilizados por coaches, gestores e profissionais de recursos humanos. O objetivo é diagnosticar o potencial de cada pessoa, favorecendo o melhor papel a ela, o espaço e o cenário ideal para que o máximo de desempenho seja extraído.
Entre as ferramentas de assessment poderosas e tradicionalmente em uso hoje estão Disc, SixSeconds e Assess. A aplicação transcorre com questionários. A ferramenta Disc avalia quatro tendências básicas do profissional: dominância, influência, estabilidade e cautela. A SixSeconds trabalha os pontos fortes da inteligência emocional da pessoa. Já a Assess ressalta as habilidades intelectuais como raciocínio abstrato e resolução de problemas. Importa citar que todas apresentam os traços de personalidade e características em favor do desempenho humano. Tais ferramentas de assessment podem substituir a prática desgastante do turn over de profissionais pelo potencial que tem cada integrante da equipe.
Assim, na visão do respeito e do entendimento de que todos têm características potenciais à contribuição, o autoconhecimento compartilhado em grupo permite um salto quântico de eficácia aos projetos corporativos.
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( )
Deixe um comentário

Publicidade
Mostre seu Negócio