Sobre o Autor
 Fred Graef é consultor Foto: /DIVULGAÇÃO/JC

Fred Graef

Consultor

Empreender é vender

Para entendermos a relação entre empreender e vender, é importante voltarmos ao conceito da Universidade Babson Collegwe, referência no assunto. Segundo esse conceito, empreender é uma forma de agir obcecada por oportunidades, com visão holística e liderança, focada em agregar valor.
Concordo plenamente. Baseado na minha vivência de mais de 30 anos na área comercial, entendo que o vendedor é o agente que consegue perceber as demandas do mercado e convencer da necessidade do produto, serviço ou projeto que você oferece, agregando valor às pessoas e negócios.
E, neste sentido, vale lembrar que todos somos vendedores e empreendedores. Em outras palavras, qualquer profissional, independentemente da posição, setor ou ramo de atuação, é um vendedor e um empreendedor. No mínimo precisa vender suas iniciativas e seus projetos. Por outro lado, se você já é um bom vendedor, pode ter certeza que já possui uma excelente característica para empreender. Sendo assim, a evidência das afinidades entre as atividades de qualquer profissão com as habilidades de vender e empreender é clara.  Pois bem, como vender e empreender? O tema, com certeza, é vasto. Contudo, um ótimo início é utilizar as cinco lições de Neurovendas listadas a seguir.
Trata-se de técnicas, ferramentas e tecnologias aplicadas que ajudam a desvendar os pensamentos, sentimentos e desejos subconscientes que influenciam as decisões de compra. Estas lições vão ajudar você em qualquer circunstância.
E, como mencionei, lembre-se: você é um vendedor e um empreendedor, mesmo que não se veja assim.
Portanto, aplique as lições abaixo para alavancar a sua carreira:
[1] Quando pensar em prospectar ou abrir novos clientes, ou "vender suas ideias", não pense diretamente em empresas, oportunidades ou situações. Pense primeiro em criar relacionamentos com pessoas.
[2] Antes do seu produto, ideia, serviço ou projeto, seus clientes (ou prospects ou leads) compram você. Essa não é uma decisão consciente. Para que a venda ocorra, primeiro as pessoas precisam confiar em você. E, depois, simpatizarem.
[3] O motivo real que leva as pessoas a comprarem ou decidirem vai além da necessidade. Tem a ver com sentimentos, emoções ou dores do negócio. Descubra os motivos por trás da necessidade e você se tornará mais persuasivo.
[4] Ao descobrir estes motivos emocionais e sentimentais (que sempre existem, mesmo que você venda para empresas), procure alinhar estas informações com as características e benefícios do que você tem a oferecer.
[5] Você vai precisar convidar a pessoa para dar o próximo passo no processo de vendas, seja o fechamento propriamente dito ou uma nova reunião. Neste momento, saiba usar os motivos sentimentais, emocionais ou de dores do negócio para mobilizar as pessoas para avançar.
Utilize as estratégias acima e você se tornará uma pessoa muito mais persuasiva e capaz de atingir os resultados.
 
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( )
Deixe um comentário

Publicidade
Mostre seu Negócio