Porto Alegre, terça-feira, 10 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Mais de vinte são detidos em protesto no Chile por desaparecidos na ditadura

Mais de 20 pessoas foram detidas na frente do Cemitério de Santiago, onde há um memorial para os mais de três mil vítimas da ditadura chilena, na tarde de domingo (8), em Santiago do Chile. Elas faziam parte de uma manifestação em memória aos mortos e desaparecidos pelo regime de Augusto Pinochet, dias antes do aniversário de 46 anos do golpe que levou o ditador ao poder. Entre os presos, três eram menores de idade. A polícia da capital chilena tentou conter os manifestantes com gás lacrimogêneo e canhões d’água. A população resistiu ao arremessar pedras e bastões. Segundo informações oficiais, mais de quatro mil pessoas participaram do ato. Eles carregavam, além de cravos vermelhos, fotos e cartazes com imagens dos parentes mortos durante o período que os militares estavam no poder.
 

FOTO COLECTIVO2+/REPRODUÇÃO/JC
09/09/2019 - 19h08min