Porto Alegre, quinta-feira, 09 de agosto de 2018.
Dia Internacional dos Povos Indígenas.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Senado argentino rejeita legalizar aborto e decisão gera reações de manifestantes

Milhares de manifestantes pró e contra a descriminalização do aborto se concentraram em torno do Congresso em Buenos Aires para acompanhar a votação no Senado nessa quarta-feira (8). O projeto já havia sido aprovado pela Câmara e previa a legalização da prática até a 14ª semana de gravidez. Também obrigava o governo a oferecer atendimento em qualquer hospital e cobrir os custos do procedimento. A sessão durou cerca de 16 horas e a medida foi recusada pelos senadores em placar apertado de 38 a 31. Com o resultado, o aborto segue sendo crime no país, ao menos em casos de estupro ou risco de morte da mãe. O placar gerou reações dos dois lados. Os manifestantes que defendiam a medida lamentaram (foto) e protestaram após o fim da sessão, com registros de confrontos com a polícia. Já o lado contra a medida comemorou e soltou fogos de artifício na capital argentina.
 

FOTO EITAN ABRAMOVICH/AFP/JC