Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Expointer leva as atividades para o mundo da internet



Principal vitrine do agronegócio gaúcho abre as porteiras neste sábado
CRÉDITO: MÁRCIO BRAGA/SECRETARIA DA AGRICULTURA/DIVULGAÇÃO/JC
Thiago Copetti
A partir deste sábado começa uma Expointer para ficar na história do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Certamente não pela expectativa de fortes vendas ou recordes de expositores, e menos ainda em razão do público, mas pelo formato inovador. Forçadas pela pandemia, a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seadpr) e diferentes entidades do agronegócio buscaram novas maneiras de não deixar o parque sem nenhuma atividade justamente no ano em que completa cinco décadas. E de também movimentar negócios e debates.
Inicialmente, quem saiu na frente foi o Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agríco pot  las no Rio Grande do Sul (Simers), com a Expointer Digital de Máquinas Agrícolas, 100% virtual, pelo site expointerdigitalagro.com.br. Iniciada no final de agosto, a exposição teve acesso de internautas dos quatros cantos do mundo e segue com seus estandes virtuais até o dia 4 de outubro, quando se encerra oficialmente esta edição da Expointer.
Depois, com o apoio e o empenho da Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac), que decidiu formatar ao menos uma exposição de animais, a Seapdr pensou com mais ênfase na possibilidade de organizar uma Expointer Digital 2020. Quase na reta final, entrou um novo integrante para agregar inovação ao evento: um drive thru foi a forma encontrada pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag) para comercializar a produção de pequenas agroindústrias em 55 estandes.
E assim se consolidou a Expointer 2020, organizada em pouco tempo, pensada para novos tempos e usando todas as tecnologias possíveis para que fosse viável em um ano de pandemia. Assim como em sua origem, a feira tem a presença marcante dos animais. Para o presidente da Febrac, Leonardo Lamachia, a edição digital se tornou a perfeita convergência do passado com o futuro.
Ainda que sem as máquinas (principal setor em termos de faturamento), os animais seguirão fazendo seu espetáculo em provas de cavalos árabes e crioulos (em diferentes competições), julgamento de bovinos de leite e ovinos e alguns remates.
O público em geral não terá acesso ao parque, aberto apenas para aqueles diretamente envolvidos nas atividades ou de carro, quando em compras no drive thru da agricultura familiar.
A plataforma digital também trará espaços para expositores, criadores de animais ou do campo agrícola, com salas de reunião, salas de negociação e canal de contato com consultores. Além das provas com animais, diferentes debates e seminários voltados ao agronegócio foram organizados e serão transmitidos pela internet, assim como as principais provas de animais. Um dos destaques será a XV Jornada Nespro, organizada pelo Núcleo de Estudos em Sistemas de Produção de Bovinos de Corte e Cadeia Produtiva (Nespro) da Ufrgs em parceria com a Febrac, nos dias 1 e 2 de outubro.


Publicado em 25/09/2020.
Comentários CORRIGIR TEXTO