Porto Alegre, terça-feira, 19 de abril de 2022.
Dia Nacional do Índio. Dia do Diplomata.
Porto Alegre,
terça-feira, 19 de abril de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Seleção Brasileira

- Publicada em 19/04/2022 às 15h07min.

CBF nega contato com Guardiola, mas não descarta estrangeiro na seleção

O jornal espanhol "Marca" havia noticiado que a CBF tinha acionado o treinador catalão, atualmente no Manchester City

O jornal espanhol "Marca" havia noticiado que a CBF tinha acionado o treinador catalão, atualmente no Manchester City


ADRIAN DENNIS/AFP/JC
O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, negou que tenha feito até o momento qualquer contato com o técnico Pep Guardiola para ser o substituto de Tite na seleção brasileira. O dirigente, no entanto, deixou aberta a possibilidade de contratar um estrangeiro para o próximo ciclo, que se iniciará após a Copa do Mundo de 2022, no Catar.
O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, negou que tenha feito até o momento qualquer contato com o técnico Pep Guardiola para ser o substituto de Tite na seleção brasileira. O dirigente, no entanto, deixou aberta a possibilidade de contratar um estrangeiro para o próximo ciclo, que se iniciará após a Copa do Mundo de 2022, no Catar.
A negativa de Ednaldo vem como resposta a uma matéria do jornal espanhol "Marca", dando conta de que a CBF já tinha acionado o treinador catalão, atualmente no Manchester City.
"A gente reconhece no Guardiola um vencedor, uma pessoa que dispensa qualquer tipo de apresentação. Mas não houve da parte da CBF, do presidente, e tampouco autorizei alguém a falar da minha parte, qualquer situação de buscar Guardiola para ser treinador da seleção. Em tempo algum isso aconteceu. Acompanhei as reportagens, mas não partiu da CBF, do presidente e nem de qualquer pessoa", disse Ednaldo, sem querer confirmar a nacionalidade do próximo comandante do Brasil:
"Não temos compromisso de dizer que tem que ser brasileiro, mas também não temos o mesmo compromisso de que tem que ser estrangeiro. No tempo certo, vamos tratar do assunto".
O cenário sobre o comando da CBF vai ser alterado por causa da decisão de Tite de não ficar à frente da seleção após o Mundial. Essa foi uma iniciativa do próprio técnico, que chegou ao cargo no meio de 2016 e já comandou a seleção na Copa do Mundo da Rússia.
"Sobre a situação de Tite, só vou tratar do assunto depois da Copa do Mundo", emendou Ednaldo.
Folhapress
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO