Porto Alegre, sexta-feira, 24 de setembro de 2021.
Porto Alegre,
sexta-feira, 24 de setembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Série B

- Publicada em 24/09/2021 às 18h52min.

STJD pune Brusque com a perda de três pontos pelo caso de racismo com Celsinho

Celsinho já havia sido alvo de ofensas racistas em outros dois jogos, contra Goiás e Remo

Celsinho já havia sido alvo de ofensas racistas em outros dois jogos, contra Goiás e Remo


RICARDO CHICARELLI/LONDRINA EC./JC
A ofensa racial praticada pelo conselheiro do Brusque, Júlio Antônio Petermann, contra o meia do Londrina, Celsinho, durante jogo realizado no dia 28 de agosto, pela 21ª rodada da Série B do Brasileiro, foi julgada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nesta sexta-feira (24) e o Brusque foi punido com a perda de três pontos, mais R$ 60 mil de multa. Já o conselheiro foi suspenso por 360 dias e multado em R$ 30 mil.
A ofensa racial praticada pelo conselheiro do Brusque, Júlio Antônio Petermann, contra o meia do Londrina, Celsinho, durante jogo realizado no dia 28 de agosto, pela 21ª rodada da Série B do Brasileiro, foi julgada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nesta sexta-feira (24) e o Brusque foi punido com a perda de três pontos, mais R$ 60 mil de multa. Já o conselheiro foi suspenso por 360 dias e multado em R$ 30 mil.
Com a punição, o Brusque perde uma posição e fica na beira da zona de rebaixamento, em 16º lugar, com 26 pontos. O Vitória é o primeiro time do Z4, com 25.
Tanto o Brusque quanto o conselheiro foram julgados pelo artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que diz "praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito".
Antes de Brusque x Londrina, Celsinho já havia sido alvo de ofensas racistas em outras duas partidas, contra o Goiás e, uma semana depois, diante do Remo, ambos em julho. Nos dois casos, os xingamentos partiram de profissionais de emissoras de rádio durante as transmissões dos confrontos.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário