Porto Alegre, sexta-feira, 06 de agosto de 2021.
Porto Alegre,
sexta-feira, 06 de agosto de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Tóquio 2020

- Publicada em 18h55min, 06/08/2021.

Paralisado com corte de Tandara, Zé Roberto celebra estar a um jogo de sonho em Tóquio

Grupo de atletas já falou que vai em busca do ouro também pela jogadora afastada por doping

Grupo de atletas já falou que vai em busca do ouro também pela jogadora afastada por doping


YURI CORTEZ/AFP/JC
Tricampeão olímpico, o técnico da seleção feminina de vôlei, José Roberto Guimarães viveu uma situação inédita e desafiadora às vésperas de comandar o Brasil rumo a mais uma final na carreira. Nesta sexta-feira (6), o treinador de 67 anos foi acordado com a notícia de que a oposta Tandara, suspensa provisoriamente por doping no Brasil, precisaria ser cortada do grupo concentrado em Tóquio antes da semifinal contra a Coreia do Sul.
Tricampeão olímpico, o técnico da seleção feminina de vôlei, José Roberto Guimarães viveu uma situação inédita e desafiadora às vésperas de comandar o Brasil rumo a mais uma final na carreira. Nesta sexta-feira (6), o treinador de 67 anos foi acordado com a notícia de que a oposta Tandara, suspensa provisoriamente por doping no Brasil, precisaria ser cortada do grupo concentrado em Tóquio antes da semifinal contra a Coreia do Sul.
Segundo o treinador, na conversa que tiveram, Tandara estava devastada, mas afirmou não ter consumido nenhuma substância proibida. Seu exame realizado no dia 7 de julho apontou a presença de Ostarina, que pertence à classe de agentes anabolizantes.
"Recebi a notícia de madrugada. Fiquei paralisado. Depois, pensei em duas coisas: nela e no grupo. A preocupação de encontrar com às atletas foi tensa. Eu pedi para o papai do céu me iluminar: tem uma coisa complicada que a gente precisa conversar", contou após a vitória tranquila que carimbou a vaga para a decisão contra os EUA.
As jogadoras não tiveram contato com Tandara, que seguiu direto para o aeroporto com destino ao Brasil. Elas firmaram um pacto para não comentar o assunto nas redes sociais durante o dia e mostraram que realmente se mantiveram focadas na quadra.
"Todo mundo foi pego de surpresa. Mas é um grupo, e a Tandara sempre fez parte desse grupo. É tão importante quanto qualquer uma de nós. A gente está torcendo pela inocência dela e tenho certeza de que ela vai sair bem desse caso. Ela não iria querer que a gente desfocasse", afirmou a central Carol Gattaz.
Em busca do título, as brasileiras terão seu maior desafio contra os Estados Unidos no domingo, à 1h30min (de Brasília). No último torneio antes das Olimpíadas, a Liga das Nações, o Brasil foi vice-campeão após perder a decisão para as norte-americanas - também havia perdido na primeira fase.
A boa lembrança para Zé Roberto está nos títulos olímpicos de 2008 e 2012 sobre a equipe dos EUA. "Agora, estamos acabando de viver nosso luto. Temos que pensar no próximo jogo. Tem que ir com a melhor energia e jogar pela Tandara também. Temos uma causa. Um jogo que temos que ganhar para tentar realizar nosso sonho", completou o treinador.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário