Porto Alegre, sábado, 29 de maio de 2021.
Dia Mundial da Energia. Dia do Estatístico. Dia do Geógrafo.
Porto Alegre,
sábado, 29 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Liga dos Campeões

- Publicada em 18h19min, 29/05/2021.

Chelsea vence o City e volta a ser campeão da Liga dos Campeões após nove anos

Nove anos depois de vencer a Liga dos Campeões da Europa pela primeira vez, em 2012, o Chelsea voltou a levantar a taça mais desejada do futebol europeu neste sábado ao vencer o Manchester City em final inglesa disputada no estádio do Dragão, na Cidade do Porto, em Portugal. Com uma atuação defensiva segura, o time comandado pelo técnico alemão Thomas Tuchel contou com um gol de Harvetz, aos 42 minutos do primeiro tempo, para garantir o bicampeonato.
Nove anos depois de vencer a Liga dos Campeões da Europa pela primeira vez, em 2012, o Chelsea voltou a levantar a taça mais desejada do futebol europeu neste sábado ao vencer o Manchester City em final inglesa disputada no estádio do Dragão, na Cidade do Porto, em Portugal. Com uma atuação defensiva segura, o time comandado pelo técnico alemão Thomas Tuchel contou com um gol de Harvetz, aos 42 minutos do primeiro tempo, para garantir o bicampeonato.
Do outro lado, o Manchester City adia o sonho de fazer como o rival fez em 2012 e conquistar o título inédito. Estreante na final da competição, o atual campeão inglês terá que esperar a próxima temporada para tentar mais uma vez alcançar a glória do feito histórico.
Antes de a bola rolar, a ansiedade do torcedor do Manchester City disparou diante da divulgação da escalação montada pelo técnico espanhol Pep Guardiola sem os volantes Fernandinho e Rodri. Além disso, Zinchenko foi mantido na lateral esquerda no lugar de Cancelo, após boas atuações nas semifinais. A principal surpresa foi a escolha de começar com Sterling como titular.
Apesar do impacto inicial, a escalação inusitada não chegou a afetar muito o Chelsea, tanto que a partida começou com certo equilíbrio. O primeiro goleiro a trabalhar foi Mendy, que salvou o time londrino aos sete minutos, quando saiu do gol para impedir finalização cara a cara de Sterling.
Depois disso, o Chelsea passou a frequentar mais o campo de ataque e desperdiçou boas chances com Timo Werner, aos 13 e aos 14 minutos. A pressão continuou e, após dois minutos, Kanté também teve sua chance, de cabeça, mas mandou para fora. Enquanto isso, a equipe de Guardiola não conseguia encontrar espaços para criar jogadas ofensivas.
O Manchester City chegou a ter um momento mais incisivo após a segunda metade da etapa inicial, mas esbarrou em intervenções certeiras da defesa adversária. Assim, o Chelsea continuou melhor e conseguiu encontrar o caminho antes do intervalo. Aos 42 minutos, Mount enfiou lindo passe para Harvetz, que saiu na frente de Ederson, limpou o goleiro brasileiro e mandou para a rede. Pouco antes disso, o zagueiro Thiago Silva saiu de campo com um problema na virilha.
No segundo tempo, o Manchester City se esforçou para manter a posse de bola e, mesmo com dificuldades para encontrar espaços, conseguiu pressionar. Bem posicionada na defesa, a equipe de Londres evitava que as jogadas adversárias evoluíssem. Por outro lado, sofria para encaixar os esperados contra-ataques para tentar matar o jogo.
Quando o contragolpe encaixou, aos 27 minutos, o Chelsea quase ampliou. No lance, Pulisic recebeu belo passe de Harvetz e finalizou para fora. Outra chance foi desperdiçada por Jorginho, aos 36. A configuração na maior parte da partida, no entanto, foi a seguinte: Manchester City atacando e Chelsea defendendo muito bem, com atuações individuais brilhantes na marcação. Kanté foi o grande destaque nos desarmes.
Mesmo com as entradas de Fernadinho, Gabriel Jesus e Sergio Aguero, essa última muito pedida pela torcida, o Manchester City não conseguia atacar com qualidade. O time manteve a posse de bola por todo o segundo tempo, porém sem apresentar grandes riscos ao Chelsea. Sem deixar que o adversário penetrasse, a equipe londrina aguentou até o fim e garantiu a segunda taça da Liga dos Campeões.
FICHA TÉCNICA
MANCHESTER CITY 0 x 1 CHELSEA
MANCHESTER CITY - Ederson; Walker, Stones, Rúben Dias e Zinchenko; Gündogan, De Bruyne (Gabriel Jesus) e Bernardo Silva (Fernandinho); Sterling (Aguero), Mahrez e Foden. Técnico: Pep Guardiola.
CHELSEA - Mendy; Azpilicueta, Thiago Silva (Christensen), Rüdiger e James; Jorginho, Kanté, Chilwell, Harvetz e Mount (Kovacic); Werner (Pulisisc). Técnico: Tomas Tuchel.
GOL - Harvertz, aos 42 minutos do primeiro tempo.
CARTÕES AMARELOS - Gündogan e Gabriel Jesus (Manchester City); Rüdiger (Chelsea).
ÁRBITRO - Antonio Miguel Mateu Lahoz (Fifa-Espanha).
RENDA - Não divulgada.
PÚBLICO - 14.110 torcedores.
LOCAL - Estádio do Dragão, na Cidade do Porto, em Portugal.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário