Porto Alegre, domingo, 21 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 21 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Vôlei

- Publicada em 12h20min, 21/02/2021.

Cinco brasileiros podem entrar no Hall da Fama do vôlei

Bernardinho é um dos brasileiros que pode fazer parte do grupo homenageado

Bernardinho é um dos brasileiros que pode fazer parte do grupo homenageado


INOVAFOTO/CBV/DIVULGAÇÃO/JC
Cinco brasileiros estão na lista com 25 personalidades do vôlei indicados a entrar no Hall of Fame da modalidade na Turma de 2021. O ex-jogador e o treinador Bernardinho, os ex-jogadores de vôlei de quadra Giovane Gávio, Serginho e Fernanda Venturini e o campeão olímpico de vôlei de praia Ricardo podem receber a maior honraria do vôlei internacional.
Cinco brasileiros estão na lista com 25 personalidades do vôlei indicados a entrar no Hall of Fame da modalidade na Turma de 2021. O ex-jogador e o treinador Bernardinho, os ex-jogadores de vôlei de quadra Giovane Gávio, Serginho e Fernanda Venturini e o campeão olímpico de vôlei de praia Ricardo podem receber a maior honraria do vôlei internacional.
Outros grandes nomes do esporte, como o russo Sergey Tetyukhine, os norte-americanos Logan Tom e Clayton Stanley e as cubanas Yumika Ruiz e Taismay Aguero também concorrem ao Salão da Fama.
A votação popular está aberta no site da instituição e os fãs e amantes do esporte podem votar em quantos nomes quiserem. O prazo para participar é até o próximo dia 28 de fevereiro. Os cinco eleitos pelo público avançam para o segundo momento da eleição. Nesta outra etapa, membros já escolhidos em pleitos anteriores do Hall da Fama também terão direito a votos.
O Brasil já tem 16 representantes no Hall da Fama: Adriana Behar, Shelda, Renan Dal Zotto, Fofão, Bebeto de Freitas, Maurício, Giba, Zé Marco, Loiola, Ana Moser, Jackie Silva, Fofão, Sandra Pires, Bernard, Emanuel e Carlos Arthur Nuzman.
Comentários CORRIGIR TEXTO