Porto Alegre, segunda-feira, 05 de outubro de 2020.
Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa. Feriado nos estados do Amapá, Roraima e Tocantins.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 05 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eliminatória Sul-Americana

- Publicada em 17h06min, 05/10/2020.

Marquinhos fala em esquecer favoritismo e exalta Neymar na seleção brasileira

Zagueiro do PSG lembrou dos tempos que viveu em Itaquera, palco do duelo da próxima sexta-feira

Zagueiro do PSG lembrou dos tempos que viveu em Itaquera, palco do duelo da próxima sexta-feira


LUCAS FIGUEIREDO/CBF/JC
Escolhido para conceder a primeira entrevista coletiva da seleção brasileira antes da estreia nas Eliminatórias Sul-Americanas na sexta-feira (9), contra a Bolívia, às 21h30min, Marquinhos falou sobre a sua evolução como jogador, destacou o momento positivo de Neymar, comentou o possível favoritismo da equipe e celebrou o retorno a Itaquera. O jogo será disputado na Neo Química Arena, casa do Corinthians, clube onde foi formado o zagueiro, hoje no Paris Saint-Germain. Os convocados de Tite treinaram nesta segunda-feira (5) para os dois jogos que têm pela frente: Bolívia e Peru.
Escolhido para conceder a primeira entrevista coletiva da seleção brasileira antes da estreia nas Eliminatórias Sul-Americanas na sexta-feira (9), contra a Bolívia, às 21h30min, Marquinhos falou sobre a sua evolução como jogador, destacou o momento positivo de Neymar, comentou o possível favoritismo da equipe e celebrou o retorno a Itaquera. O jogo será disputado na Neo Química Arena, casa do Corinthians, clube onde foi formado o zagueiro, hoje no Paris Saint-Germain. Os convocados de Tite treinaram nesta segunda-feira (5) para os dois jogos que têm pela frente: Bolívia e Peru.
Marquinhos comemorou o fato de poder atuar em Itaquera, na zona leste de São Paulo, bairro onde passou boa parte de sua vida. "Realmente é um lugar muito especial para mim. Passei dez anos da minha vida em Itaquera. Morei cinco anos no alojamento da base. Fico feliz de estar voltando, mesmo em circunstâncias difíceis, sem torcedores", disse Marquinho. “Queríamos muito ter a nossa torcida, que é sempre um diferencial muito grande, mas a gente tem que saber jogar seguindo o novo protocolo e a nova maneira de atuar até que as coisas melhorem e possamos receber de novo todos a festa dos torcedores", lamentou.
Neymar, seu companheiro de PSG, também foi assunto na coletiva. Marquinhos enalteceu o momento do atacante, que, em sua visão, vive uma "fase extraordinária" e foi muito importante para conduzir o time francês à final da Liga dos Campeões na temporada passada. A avaliação é de que o camisa 10 está mais maduro e vem evoluindo progressivamente.
"Ele vem em um momento extraordinário na carreira. Fez jogos extraordinários na final da Liga das Campeões e ajudou o nosso time. Nos primeiros jogos do Campeonato Francês ele vem atuando muito bem também e conseguiu manter o nível de jogo que teve nas finais. É importante que ele esteja assim. Bem, feliz, realmente vem cada vez mais crescendo, evoluindo. Esse momento na seleção só vem dar mais motivação para ele, que é muito ambicioso, competitivo e quer sempre vencer", pontuou.
Atual campeão da Copa América, o time do técnico Tite aparece, como de costume, como um dos favoritos a brigar pelos primeiros lugares nas Eliminatórias. Marquinhos assegurou que não está preocupado com o favoritismo. A ideia é ter pé no chão e conquistar os torcedores com boas atuações.
"Tudo depende do que a gente faz dentro de campo. A seleção brasileira tem história e respeito. Não estamos muito preocupados com o favoritismo porque não ganha jogo. A gente tem que deixar de lado o favoritismo e todo o respeito que as pessoas têm pela camisa da seleção brasileira. Temos que dar a resposta dentro de campo e é isso que vai fazer as pessoas falarem em favoritismo ou não", analisou.
Comentários CORRIGIR TEXTO