Porto Alegre, sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Automobilismo

- Publicada em 08h19min, 25/09/2020. Atualizada em 16h48min, 25/09/2020.

Alonso se diz ansioso por volta à F-1 e planeja correr na Stock Car com Rubinho

Piloto espanhol retornará a um carro Renault na próxima temporada de Fórmula 1

Piloto espanhol retornará a um carro Renault na próxima temporada de Fórmula 1


ANDREJ ISAKOVIC/AFP/JC
O espanhol Fernando Alonso garantiu nesta quinta-feira (24) que não vai parar de correr tão cedo. Aos 39 anos e prestes a voltar à Fórmula 1 no ano que vem pela Renault, o bicampeão mundial acaba de lançar uma série documental sobre a sua vida e descarta a vontade de parar. Após se aventurar na Fórmula Indy, no Mundial de Endurance e no Rally Dakar, até a Stock Car está nos planos.
O espanhol Fernando Alonso garantiu nesta quinta-feira (24) que não vai parar de correr tão cedo. Aos 39 anos e prestes a voltar à Fórmula 1 no ano que vem pela Renault, o bicampeão mundial acaba de lançar uma série documental sobre a sua vida e descarta a vontade de parar. Após se aventurar na Fórmula Indy, no Mundial de Endurance e no Rally Dakar, até a Stock Car está nos planos.
Alonso concedeu uma entrevista coletiva virtual para promover a série Fernando, que vai estrear nesta sexta-feira (25) na plataforma de streaming Amazon Prime Video. Os cinco episódios retratam o período vivido pelo piloto após se despedir da Fórmula 1, em 2018, e a rotina de competir em categorias tão diferentes movido pelo propósito de experimentar novas sensações e de se manter ativo no automobilismo.
Apesar das vitórias em Le Mans e da frustração de ainda não ter vencido as 500 Milhas de Indianápolis, Alonso sentiu falta de estar na F-1 e voltará no próximo ano. "Se eu ficasse mais um tempo fora, seriam três anos longe da Fórmula 1. Seria muito. Descobri (nesses anos) algo que não sabia sobre mim: preciso ter um volante nas minhas mãos. A Fórmula 1 pode não ser a categoria mais interessante, mas é muito prazerosa", disse.
O espanhol deixou a F-1 em 2018 após correr pela McLaren e não conseguir ser competitivo. Por isso, traçou o objetivo de ganhar a Tríplice Coroa do Automobilismo, uma espécie de consagração informal para quem tem no currículo vitórias no GP de Mônaco, nas 24 Horas de Le Mans e nas 500 Milhas de Indianápolis. De todas essas, somente Indianápolis escapou de Alonso. Em toda a história somente o inglês Graham Hill conseguiu ganhar as três provas.
Por enquanto, o plano de tentar novamente a vitória em Indianápolis está descartado. "Não tenho uma ideia clara agora. Estou totalmente focado na Fórmula 1. Não sei como será daqui alguns anos. Posso ter vontade de tentar de novo a Indy ou quem sabe me arriscar de novo no Rally Dakar. Está muito aberto. Mas é certo que vou continuar correndo, qualquer coisa que aconteça", afirmou.
E o espírito competidor de Alonso o aproxima até do automobilismo brasileiro. Amigo de Rubens Barrichello desde os tempos de F-1, o espanhol tem recebido convites frequentes para disputar a Stock Car. "É um campeonato que está crescendo e estou sempre em contato com o Rubinho. Ele sempre me manda fotos e vídeos dos carros e me chama para testar", disse. "Sei que é um campeonato bem popular no Brasil e interessante. Quem sabe? Não para disputar o campeonato todo, mas correr algumas provas é interessante", comentou.
Alonso ganhou os dois títulos mundiais de Fórmula 1 (2005 e 2006) com corridas em Interlagos e disse que agora, perto de completar 40 anos, se sente mais à vontade para falar da própria vida. Até mesmo por isso decidiu aceitar o convite da Amazon para mostrar um pouco da intimidade, inclusive a rotina dentro de casa, a prática de esportes como ciclismo e os jantares com amigos e familiares na Espanha.
"Quando se tem 24 anos e se é campeão do mundo, você não está preparado para as coisas que a fama te traz. Isso gera a tendência de você se fechar e ter medo de se mostrar ao público. Agora (com a série), os fãs vão me conhecer de outro modo, não só como esportista, mas como uma pessoa normal, que tem medos, alegrias e decepções", explicou.
Comentários CORRIGIR TEXTO