Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

campeonato brasileiro

- Publicada em 11h48min, 24/09/2020.

Sindicato dos Atletas diz que acionará a Justiça se CBF não adiar Palmeiras x Flamengo

O Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo afirmou nesta quinta-feira que pretende acionar a Justiça caso a CBF decida não adiar o jogo entre Palmeiras e Flamengo, marcado para domingo, no Allianz Parque, pela 12ª rodada do Brasileirão. A entidade avalia que a partida trará riscos para todos os jogadores envolvidos.
O Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo afirmou nesta quinta-feira que pretende acionar a Justiça caso a CBF decida não adiar o jogo entre Palmeiras e Flamengo, marcado para domingo, no Allianz Parque, pela 12ª rodada do Brasileirão. A entidade avalia que a partida trará riscos para todos os jogadores envolvidos.
"A situação do jogo Palmeiras x Flamengo, marcado para domingo (27 de setembro), tem fortes indícios de risco à vida dos atletas profissionais e demais membros dos clubes. O nosso médico, Dr. Renato Anghinah, está em contato com especialistas da área de infectologia para que tenhamos a posição técnica que comprove o risco", registrou o sindicato em nota. Se o risco for comprovado pelos especialistas, o Sindicato prometeu pedir o adiamento do jogo na Justiça. "Uma vez obtido o parecer, e com a CBF mantendo sua postura de irresponsabilidade, buscaremos a justiça para o adiamento da partida."
Na terça-feira, o Flamengo enviou ofício à CBF solicitando a mudança de data do jogo devido aos casos de Covid-19 em seu elenco. Na mesma terça, o time carioca precisou entrar em campo sem sete titulares, todos infectados pelo novo coronavírus, para a partida contra o Barcelona de Guayaquil, no Equador - venceu por 2 a 1, pela fase de grupos da Copa Libertadores.
Os casos, contudo, só aumentaram desde então. Na noite de quarta, eram 27 casos positivos, entre jogadores, membros da comissão técnica e da diretoria. Somente entre os atletas eram 16 testes positivos. Ainda na terça, o Palmeiras veio a público para afirmar que era contra o adiamento do jogo. No dia seguinte, o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, afirmou que a mudança de data era improvável.
"Já fizemos quase 300 jogos com rigor absoluto na área de segurança sanitária, testes antes e depois, e não é só a Série A, a B, a D, nos mais profundos rincões do Brasil e tudo absolutamente perfeito. Com protocolo sendo atendido. E respeitando que, quando clube tem os seus infectados, ele separa e continua jogando. A não ser que não tenha plantel mínimo para poder entrar em campo e fazer a substituição. Não é o caso do Flamengo agora. O Flamengo tem 40 inscritos, por mais que tenha número elevado, ainda tem plantel bastante viável. Então deve acontecer o jogo", disse Feldman, em entrevista à rádio Bandeirantes.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO