Porto Alegre, terça-feira, 12 de maio de 2020.
Dia da Enfermagem.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 12 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Obituário

Notícia da edição impressa de 12/05/2020. Alterada em 11/05 às 20h48min

Jornalista Newton Zarani, criador do futsal, morre aos 93 anos

Além de atleta, treinador e dirigente, Zarani foi um dos primeiros comentaristas esportivos

Além de atleta, treinador e dirigente, Zarani foi um dos primeiros comentaristas esportivos


/LIGA NACIONAL DE FUTSAL/DIVULGAÇÃO/JC
Conhecido como um dos criadores do futebol de salão, ou futsal, o jornalista Newton Zarani morreu no Rio de Janeiro na madrugada de ontem, aos 93 anos, após sofrer um AVC. Além da sua história no futsal como atleta, treinador e dirigente, ele foi um dos primeiros comentaristas esportivos do País, e trabalhou por 40 anos no Jornal dos Sports, ao lado de Nelson Rodrigues e João Saldanha.
Conhecido como um dos criadores do futebol de salão, ou futsal, o jornalista Newton Zarani morreu no Rio de Janeiro na madrugada de ontem, aos 93 anos, após sofrer um AVC. Além da sua história no futsal como atleta, treinador e dirigente, ele foi um dos primeiros comentaristas esportivos do País, e trabalhou por 40 anos no Jornal dos Sports, ao lado de Nelson Rodrigues e João Saldanha.
Com a ajuda de um grupo de amigos, Zarani fundou em 1954 a Federação de Futebol de Salão do Estado do Rio de Janeiro, a mais antiga da modalidade, e tornou-se o primeiro atleta federado. Nascido no dia 13 de janeiro de 1927 e criado na Tijuca, Zarani sempre torceu para o América-RJ. Em 1952, com 25 anos, convidou amigos para jogar futebol na sede do clube, porém não havia campo disponível, apenas quadras poliesportivas.
Entre as primeiras regras do esporte que estava sendo criado, era proibido colocar a bola no chão, aplicar carrinhos no adversário, e não valia gol feito de dentro da área. "Era um futebol de classe, toque de bola, dribles bonitos e sem pancadas. Por isso o nome futebol de salão", resumiu Zarani em uma entrevista ao Museu da Pelada. Nas quadras, ele defendeu o América-RJ, seu clube do coração, e depois o Club Municipal. Zarani deixa a esposa Maria Lúcia e três filhos.
Comentários