Porto Alegre, quinta-feira, 30 de abril de 2020.
Dia do Ferroviário.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 30 de abril de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Olimpíada

Notícia da edição impressa de 30/04/2020. Alterada em 29/04 às 20h47min

COI admite que adiamento de Tóquio 2020 vai custar milhões de dólares

Thomas Bach informou que o a entidade seguirá apoiando os parceiros japoneses

Thomas Bach informou que o a entidade seguirá apoiando os parceiros japoneses


/FABRICE COFFRINI/AFP/JC
O adiamento dos Jogos de Tóquio para 2021, devido à pandemia do coronavírus, vai ter um custo adicional ao Comitê Olímpico Internacional (COI). Quem revelou isso foi o presidente da entidade, o alemão Thomas Bach, nesta quarta-feira, em uma carta aberta enviada ao movimento olímpico.
O adiamento dos Jogos de Tóquio para 2021, devido à pandemia do coronavírus, vai ter um custo adicional ao Comitê Olímpico Internacional (COI). Quem revelou isso foi o presidente da entidade, o alemão Thomas Bach, nesta quarta-feira, em uma carta aberta enviada ao movimento olímpico.
"Sabemos que vamos ter de entrar com várias centenas de milhões de dólares por causa do adiamento. É por isso que também é necessário examinar e rever todos os serviços prestados", disse Bach. Por causa da pandemia, o evento acabou adiado para 2021, entre 23 de julho e 8 de agosto. "Vamos continuar dando suporte na parte da carga operacional e de custos destes Jogos Olímpicos, como foi acordado com os nossos parceiros e amigos japoneses", garantiu.
Segundo o último orçamento divulgado, o COI tem um grande valor disponível para lidar com um possível cancelamento dos Jogos do Tóquio, hipótese que foi levantada pelo presidente do Comitê Organizador, Yoshiro Mori, caso a pandemia não esteja controlada até lá. "A prioridade é a criação de um ambiente seguro em termos de saúde para todos os participantes. O COI está seguindo os conselhos da Organização Mundial da Saúde sobre possíveis adaptações aos esportes em massa. Mas também temos consciência que ninguém sabe como será a realidade do mundo após o coronavírus", confessou Bach.
Comentários