Porto Alegre, segunda-feira, 20 de julho de 2020.
Dia do Amigo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 20 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Campeonato Brasileiro

- Publicada em 20h29min, 22/04/2020. Alterada em 20h29min, 22/04/2020.

Clubes lucrarão com apostas realizadas no exterior

Equipes da Série A ficarão com cerca de R$ 157 milhões (75%) das cotas

Equipes da Série A ficarão com cerca de R$ 157 milhões (75%) das cotas


JCOMP/FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/JC
Os clubes brasileiros vão passar a lucrar com apostas feitas em sites do exterior por causa dos jogos do Brasileiro. Uma das cláusulas do contrato firmado para a venda dos direitos internacionais para transmissão de jogos até dezembro de 2023 estabelece que as equipes vão faturar conforme o volume de apostas realizadas.
Os clubes brasileiros vão passar a lucrar com apostas feitas em sites do exterior por causa dos jogos do Brasileiro. Uma das cláusulas do contrato firmado para a venda dos direitos internacionais para transmissão de jogos até dezembro de 2023 estabelece que as equipes vão faturar conforme o volume de apostas realizadas.
O acordo não é detalhado devido às minutas que exigem confidencialidade das partes. Os times receberão um total de R$ 209 milhões por um acerto que dura quatro temporadas.
Os clubes da Série A ficarão com cerca de R$ 157 milhões (75%) das cotas, as da Série B embolsarão outros R$ 42 milhões (20%), e as equipes da Série C levarão os R$ 10,5 milhões restantes (5%). Os valores serão pagos de forma parcelada. O montante deve ser diluído ao longo de quatro anos.
"Após uma análise de quais empresas poderiam fazer, foi dividido entre direitos de transmissão e betting, que é a parte de apostas. A princípio, uma empresa vai controlar a parte de transmissão e outra cuidará das apostas. Esse é um contrato que tende a ficar interessante na medida em que as apostas começam a acontecer", disse o presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara, que é um dos representantes da Comissão Nacional de Clubes (CNC).
Comentários CORRIGIR TEXTO