Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Fórmula 1

12/02/2020 - 10h44min. Alterada em 12/02 às 10h47min

Coronavírus faz com que GP da China de F-1 seja adiado

Mais de 43 mil pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus e outras 1.018 morreram

Mais de 43 mil pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus e outras 1.018 morreram


GREG BAKER/AFP/JC
Folhapress
A epidemia de coronavírus provocou o adiamento do GP da China de F-1, que estava marcado para 19 de abril. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (12). A mudança de data havia sido solicitada pelo Juss Sports Group, responsável pela organização da corrida, junto com a Federação de Esportes Automotores da China.
A epidemia de coronavírus provocou o adiamento do GP da China de F-1, que estava marcado para 19 de abril. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (12). A mudança de data havia sido solicitada pelo Juss Sports Group, responsável pela organização da corrida, junto com a Federação de Esportes Automotores da China.
Não foi divulgado quando será realizada a prova. Em seu site oficial, a F-1 afirma que vai "trabalhar com as equipes, promotores, Federação e as autoridades locais para monitorar a situação,com todas as partes estudando a viabilidade de datas alternativas neste ano quando a situação melhorar". Até a última terça-feira (11), mais de 43 mil pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus e outras 1.018 morreram.
É a primeira vez que a F-1 é obrigada a adiar uma prova por problemas de saúde pública. A temporada inaugural da categoria foi realizada em 1950. A última corrida a não acontecer como programado aconteceu no Bahrein em 2011. O evento foi cancelado por causa de protestos da população e distúrbios nas ruas.
O GP de F-1 deste ano é o caso mais recente de evento esportivo marcado para China a ser adiado ou ter a data alterada.
No final de janeiro, a Associação Chinesa de Futebol havia anunciado a suspensão de todas as partidas agendadas para o país, inclusive da primeira divisão da liga nacional, marcada para começar em 22 de fevereiro.
A epidemia fez com que o Pré-Olímpico de futebol feminino fosse transferido para a Austrália. Ao chegar em Brisbane para a competição, a seleção chinesa foi colocada em quarentena. "Todas as atletas e o estafe estão com boa saúde", informa texto divulgado pela Associação.
A Fed Cup de tênis foi levada para o Cazaquistão pela Federação Internacional devido às restrições para viajar à China. As provas da Copa do Mundo de esqui alpino não vão mais acontecer.
Outras competições já foram canceladas, atrasadas ou realocadas. Entre elas,os pré-olímpicos de boxe e de basquete feminino saíram do país para a Jordânia e para a Sérvia, respectivamente. A volta de ciclismo de Hainan, parte do circuito da segunda divisão mundial, não será mais realizada.
Já o Mundial de Atletismo indoor foi adiado para 2021, e o Pré-Olímpico de lutas, que também está programado para a China em março, foi posto em estado de atenção.