Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

futebol

22/01/2020 - 12h22min. Alterada em 22/01 às 13h45min

Após suspensão, Platini volta ao futebol como conselheiro no FIFPro

Francês será conselheiro de Philippe Piat, presidente do FIFPro

Francês será conselheiro de Philippe Piat, presidente do FIFPro


FABRICE COFFRINI /AFP/JC
Depois de cumprir quatro anos de suspensão de qualquer atividade no futebol, o ex-presidente da Uefa Michel Platini está de volta ao mundo da bola. O francês será conselheiro de Philippe Piat, presidente do FIFPro, sindicato internacional de jogadores de futebol.
Depois de cumprir quatro anos de suspensão de qualquer atividade no futebol, o ex-presidente da Uefa Michel Platini está de volta ao mundo da bola. O francês será conselheiro de Philippe Piat, presidente do FIFPro, sindicato internacional de jogadores de futebol.
Segundo revelou o jornal francês Le Parisien, Platini vai trabalhar diretamente com Piat para "aumentar as demandas dos jogadores". De acordo com o presidente da FIFPro, o ex-jogador atuará como voluntário.
"Ele é alguém importante que será ouvido no mais alto nível. Eu o conheço desde 1972. Como ele estava livre, facilitou a aproximação. Enquanto ele for voluntário e não ocupar um cargo eletivo, não há nada que nos impeça de falar agora", disse Piat.
Ao ser questionado sobre a possibilidade de Platini assumir o comando da FIFPro, Piat, que não deve concorrer ao cargo novamente, despistou. "É prematuro! Para se eleger, você deve ter se provado. Veremos como as coisas evoluirão", falou Piat ao Parisien.
Folhapress
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia