Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 27 de dezembro de 2019.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Grêmio

Edição impressa de 27/12/2019. Alterada em 26/12 às 20h42min

Volante uruguaio Carlos Sánchez entra no radar tricolor

Volante de 35 anos, atualmente no Santos, interessa ao Grêmio

Volante de 35 anos, atualmente no Santos, interessa ao Grêmio


IVAN STORTI/SANTOS FC/DIVULGAÇÃO/JC
Entre as posições prioritárias para a próxima temporada, o Grêmio decidiu que precisará de um volante já para o início do ano. Como o capitão Maicon passará por uma artroscopia no joelho esquerdo assim que se reapresentar após as férias, o departamento de futebol está no mercado para buscar um nome à altura do camisa 8. E o escolhido é Carlos Sánchez, do Santos.
Entre as posições prioritárias para a próxima temporada, o Grêmio decidiu que precisará de um volante já para o início do ano. Como o capitão Maicon passará por uma artroscopia no joelho esquerdo assim que se reapresentar após as férias, o departamento de futebol está no mercado para buscar um nome à altura do camisa 8. E o escolhido é Carlos Sánchez, do Santos.
O uruguaio de 35 anos tem contrato com o Peixe até julho de 2021, no entanto, o clube santista está com alguns valores em aberto com o atleta. Por possuir uma ótima relação institucional e comercial com o Santos, o Grêmio não fará nenhuma proposta ao jogador até que as partes cheguem a um acordo. Prova de que os clubes mantêm um bom relacionamento é a recente troca entres os laterais-direitos Madson e Victor Ferraz.
Outros dois nomes seguem sendo observados. O volante Lucas Silva, ex-Cruzeiro, que ainda pertence aos espanhóis do Real Madrid, e Bruno Henrique, do Palmeiras. O primeiro é bem caro, já que o salário pago pelos Merengues é alto para a realidade brasileira. Ele rescindiu com os mineiros em setembro e não atua há seis meses. Já as conversas envolvendo o segundo foram abortadas pelo técnico Vanderlei Luxemburgo, recém-chegado no Alviverde, que quer contar com o jogador para 2020.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia