Porto Alegre, sexta-feira, 24 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 24 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Campeonato Brasileiro

- Publicada em 03h05min, 30/10/2019. Atualizada em 03h00min, 30/10/2019.

Zé Ricardo faz mistério e não indica o Inter para encarar o Atlhetico-PR

O técnico Zé Ricardo fechou mais um treino antes do enfrentamento com o Athletico-PR, amanhã, às 21h30min, no Beira-Rio. Ontem, no palco da partida válida pela 29ª rodada do Brasileirão, o treinador não deu indícios do time que enfrentará o campeão da Copa do Brasil. Será o seu segundo compromisso à frente do Colorado e, para esta partida, contará com o retorno de D'Alessandro e Patrick.
O técnico Zé Ricardo fechou mais um treino antes do enfrentamento com o Athletico-PR, amanhã, às 21h30min, no Beira-Rio. Ontem, no palco da partida válida pela 29ª rodada do Brasileirão, o treinador não deu indícios do time que enfrentará o campeão da Copa do Brasil. Será o seu segundo compromisso à frente do Colorado e, para esta partida, contará com o retorno de D'Alessandro e Patrick.
A tendência é de que o camisa 10 esteja em campo diante do Furacão. Já o volante segue como grande mistério. Ambos estavam suspensos pelo terceiro cartão amarelo e não participaram da vitória colorada por 3 a 2 sobre o Bahia, em Salvador. D'Ale deve entrar na vaga de Neílton, já Patrick briga com Wellington Silva por um lugar entre os titulares.
Caso Patrick vá para o banco de reservas, Guilherme Parede e Wellington Silva devem formar a linha de meio-campo. Na defesa, após sete jogos sem atuar juntos, Rodrigo Moledo e Víctor Cuesta voltam a formar a dupla titular. Com isso, o Inter deve ir a campo com Marcelo Lomba; Heitor, Moledo, Cuesta e Zeca; Rodrigo Lindoso, Edenilson, Parede, D'Ale e Wellington Silva (Patrick); Paolo Guerrero.
Lindoso falou ontem sobre Zé Ricardo e o fato de já ter trabalhado com o técnico. "Foi bom para o Zé ter alguém que ele já conhece no grupo. Ele me tinha como um dos homens de segurança no Botafogo, queria que eu tivesse ficado no início do ano", contou. O volante comparou ainda o trabalho de Odair Hellmann com o do novo treinador. "Tem muita coisa que ficou. Um trabalho de dois anos não se perde em duas ou três semanas. É um pouco diferente, mas tem uma estrutura do que foi feito durante o trabalho do Odair", acrescentou.
Comentários CORRIGIR TEXTO