Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de outubro de 2019.
Dia Mundial dos Correios.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Futebol

09/10/2019 - 08h57min. Alterada em 09/10 às 08h57min

Tite reclama da cultura e do calendário do futebol do Brasil: 'Convoco com pesar'

A entrevista coletiva do técnico Tite na véspera do amistoso da seleção brasileira contra Senegal, marcado para esta quinta-feira em Cingapura, foi recheada de críticas. O treinador reclamou da organizadora do jogo, lamentou problemas no calendário nacional e também da cultura do futebol brasileiro.
A entrevista coletiva do técnico Tite na véspera do amistoso da seleção brasileira contra Senegal, marcado para esta quinta-feira em Cingapura, foi recheada de críticas. O treinador reclamou da organizadora do jogo, lamentou problemas no calendário nacional e também da cultura do futebol brasileiro.
Para os compromissos contra Senegal e Nigéria, este no próximo domingo, Tite convocou oito jogadores de clubes nacionais. O chamado provocou críticas ao treinador por desfalcar times que participam do Campeonato Brasileiro. O técnico, então, garantiu que não mudou seu posicionamento em relação ao período em que dirigia clubes e defendeu que as competições deveriam ser paralisadas, criticando o calendário da CBF.
"Quando a seleção joga não tinha que ter jogo de time. Continuo convicto. Isso para mim não vai mudar ao longo do tempo. Eu faço as convocações e faço com bastante pesar. Porque eu não queria. Continuo com a mesma opinião. Eu sei que o Manoel Flores (diretor de competições da CBF) está tentando ajustar. Mas vocês sabem mais do que eu. E não quero entrar nestes aspectos. Mas esse problema aconteceu com quase todos os clubes. Eu tenho isso claro e continua igual", afirmou.
Já ao ser questionado sobre a recente demissão de Sylvinho, que foi seu auxiliar na seleção, do comando do Lyon, Tite disparou contra a cultura do futebol brasileiro. O treinador reclamou do clima de constante pressão e lembrou que invasões de centro de treinamentos por torcedores, com intimidações a jogadores e comissões técnicas, vêm se tornando rotineiras.
"Tem algumas diferenças da Europa, mas o nível de pressão no Brasil é muito alto. Não concebo no Brasil que parece que não ganhar um jogo é crime. Proporciona invasão de treino a toda hora. Eu me sinto envergonhado em relação a isso", disse.
Tite também não poupou a Pitch, organizadora dos amistosos da seleção. Ele reclamou a que a equipe não pôde treinar no Estádio Nacional de Cingapura, palco do amistoso contra Senegal.
"O que mais me deixou chateado foi a falta de respeito da Pitch com a seleção brasileira e a de Senegal por não trabalharmos no campo de jogo. Isso me deixou descontente. Atletas de alto nível merecem respeito maior, a oportunidade de treinar no campo de jogo. O campo que treinamos não é o ideal, não nos atende", comentou.
O duelo será disputado a partir das 9 horas (de Brasília) desta quinta. E Tite confirmou a escalação do Brasil com: Ederson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus, Neymar e Roberto Firmino.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia