Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 06 de outubro de 2019.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

06/10/2019 - 10h01min. Alterada em 06/10 às 10h01min

Cruzeiro e Inter empatam após pênalti polêmico no Mineirão

Placar foi amargo para o Internacional, que caiu da quinta para a sexta posição

Placar foi amargo para o Internacional, que caiu da quinta para a sexta posição


RICARDO DUARTE/S. C. Internacional/Divulgação/JC
Com um gol de pênalti polêmico, convertido por Fred e só assinalado pelo juiz após recorrer à arbitragem de vídeo, o Cruzeiro empatou por 1 a 1 com o Internacional, no final da noite desse sábado (5), no Mineirão, em Belo Horizonte, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Com um gol de pênalti polêmico, convertido por Fred e só assinalado pelo juiz após recorrer à arbitragem de vídeo, o Cruzeiro empatou por 1 a 1 com o Internacional, no final da noite desse sábado (5), no Mineirão, em Belo Horizonte, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.
O resultado, porém, não serviu para aliviar o drama da equipe cruzeirense em sua luta contra o rebaixamento, pois a fez somar apenas 20 pontos na 17ª posição. E o time comandado pelo técnico Abel Braga corre o risco de cair para a 18ª colocação neste domingo, quando o CSA, com 19 pontos, enfrenta o Avaí em Maceió no complemento desta rodada.
O empate também foi amargo para o Internacional, que caiu da quinta para a sexta posição, com 38 pontos - foi ultrapassado pelo São Paulo, que horas mais cedo derrotou o Fortaleza por 2 a 1, no Pacaembu, e passou a contabilizar 39 pontos.
O confronto marcou também o reencontro dos dois times que se enfrentaram na semifinal da Copa do Brasil deste ano. Na ocasião, a equipe colorada foi muito superior, ganhando por 1 a 0 no Mineirão e depois por 3 a 0 no Beira-Rio.
Para o Cruzeiro, além de uma "vingança" após a decepção na competição de mata-mata, um triunfo também significaria a sua primeira vitória no returno do Brasileirão, mas este jejum foi ampliado para quatro jogos nesta segunda metade do torneio.
E a equipe colorada chegou a dar a impressão que poderia voltar a atropelar o Cruzeiro ao abrir o placar já aos 9 minutos do primeiro tempo com um belo gol. Em uma rápida troca de passe, Nico López deu uma ótima assistência de cabeça para Nonato, que invadiu a grande área pelo lado esquerdo e tocou por baixo do goleiro Fábio para fazer 1 a 0.
O Cruzeiro respondeu aos 12 minutos, com David acionado Thiago Neves da esquerda. O experiente meia se livrou da marcação de Cuesta e finalizou para a bola passar perto do travessão de Marcelo Lomba. O Inter, porém, não se assustou com o ímpeto adversário e voltou a se ver perto de marcar aos 15, desta vez com Nico López levando perigo em finalização que saiu perto do gol de Fábio.
Com bom apoio de sua torcida no Mineirão, o time cruzeirense começou a ter maior volume ofensivo e desperdiçou uma outra grande oportunidade de empatar o jogo aos 38 minutos, quando David levou a melhor sobre a marcação de um defensor após ser acionado por Thiago Neves e, na cara de Lomba, arrematou para fora.
Na etapa final, o Inter retornou ao campo com D'Alessandro no lugar de Nico López, mas o Inter seguia sem engrenar no setor ofensivo e sofria com as investidas dos cruzeirenses. E em uma delas, Orejuela acabou recebendo uma bola na grande área e, ao tentar se livrar da marcação, cavou um pênalti ao ser tocado de leve por Patrick. O lateral desabou em campo em uma reação exagerada, mas o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães considerou que foi pênalti mesmo depois de rever o lance com o VAR.
A decisão revoltou os jogadores do Inter e o técnico Odair Hellmann, que esbravejou muito contra a arbitragem. Edenilson, por reclamação, foi punido com um amarelo. Com a bola na marca do pênalti, Fred foi para a cobrança e bateu com tranquilidade no canto esquerdo de Lomba, que caiu para o lado direito.
E depois o Inter perdeu Nonato, lesionado, que deu lugar a Neilton. Guerrero, apagado no jogo, por muito pouco não marcou em uma cobrança de falta em que a bola passou perto do gol de Fábio, aos 24 minutos.
O Cruzeiro, empolgado com o apoio dos seus torcedores, voltou a pressionar e só não marcou no minuto seguinte porque Lomba operou um "milagre" com uma incrível defesa após cabeçada de Robinho, cara a cara, após um cruzamento de David.
Com o seu time precisando da vitória para aumentar suas chances de sair da zona de rebaixamento nas rodadas seguintes - nesta isso ainda não era possível -, Abel resolveu fazer três modificações em um intervalo de seis minutos, sacando David, Jadson e Thiago Neves, substituídos respectivamente por Ezequiel, Mauricio e Sassá.
Mas nenhum destes três que entraram se viram perto de balançar as redes ou de ajudar o Cruzeiro a fazer um gol. Quem teve a sensação que poderia marcar novamente foi Fred, mas o atacante desta vez parou em nova boa defesa de Lomba após receber cruzamento de Egídio e finalizar. E jogo ficou mesmo no 1 a 1.
Na próxima rodada, o Inter vai até Maceió enfrentar o CSA, na quarta-feira, às 19h15, no estádio Rei Pelé. Na mesma noite, o Cruzeiro terá pela frente o Fluminense, às 21h30min, em novo compromisso no Mineirão.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia