Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Copa do Brasil

- Publicada em 22h40min, 17/09/2019. Atualizada em 22h40min, 17/09/2019.

Mais de 50 mil gritando pelo bicampeonato

Se depender do rugir das arquibancadas, não faltará apoio para o Inter reverter a vantagem de 1 a 0 do Athletico-PR e conquistar o bicampeonato da Copa do Brasil. O time comandado por Odair Hellmann contará com o Beira-Rio lotado hoje, às 21h30min, no duelo de volta da final. A expectativa é de que mais de 50 mil pessoas estarão no estádio para assistir o último capítulo da jornada colorada em busca de um título nacional (algo que não acontece há 27 anos).
Se depender do rugir das arquibancadas, não faltará apoio para o Inter reverter a vantagem de 1 a 0 do Athletico-PR e conquistar o bicampeonato da Copa do Brasil. O time comandado por Odair Hellmann contará com o Beira-Rio lotado hoje, às 21h30min, no duelo de volta da final. A expectativa é de que mais de 50 mil pessoas estarão no estádio para assistir o último capítulo da jornada colorada em busca de um título nacional (algo que não acontece há 27 anos).
Para tentar repetir o time de 1992, que superou o Fluminense e conquistou pela primeira vez a competição, Odair tem todos os jogadores à disposição. A grande dúvida era a presença de D'Alessandro. O meia argentino sentiu um desconforto muscular no treino de domingo e virou dúvida até ontem. Só que o camisa 10 participou normalmente da última atividade, realizada no palco da decisão, com portões fechados.
Notícias sobre o Internacional são importantes para você?
Caso D'Ale não tenha condições de atuar, Wellington Silva surge como opção. Ele, inclusive, foi poupado da viagem para Belo Horizonte, no final de semana, para enfrentar o Atlético-MG, pelo Brasileirão, permanecendo em Porto Alegre para treinar com os titulares. Outra opção é o experiente Rafael Sobis, protagonista de títulos importantes do clube.
Ontem, o atacante Paolo Guerrero falou sobre o momento da decisão e de todo o cenário que a torcida prepara esta noite. "Aqui em casa, nós temos a oportunidade de virar amanhã (hoje). É a única coisa que queremos. Nós estamos muito bem, confiantes e com a faca entre os dentes, como se fala aqui", disse o camisa 9.
O peruano lembrou ainda o período difícil que viveu com o afastamento por doping na seleção do seu país. "Para mim, é muito importante ganhar algo nesta temporada, pois é o ano mais importante da minha vida. Queremos ser lembrados como o grupo que venceu a Copa do Brasil", ressaltou.
Para isso, Guerrero confia no Beira-Rio e no apoio incondicional do torcedor. "Em uma decisão como essa, o fator local é sempre muito importante. Perdemos como visitantes, mas iremos decidir em casa. Respeitamos muito a equipe do Athletico, eles têm muita qualidade", completou.
Como foi o desempenho colorado nas outras decisões
1992 - Na decisão de 1992, comandado por Antônio Lopes, o Inter acabou perdendo o primeiro jogo para o Fluminense por 2 a 1, no Estádio das Laranjeiras. Como o regulamento ainda previa o saldo qualificado, a vitória por 1 a 0, com gol de Célio Silva, de pênalti, bastou para o Colorado ser campeão.
2009 - Na segunda chegada colorada à final, em 2009, o Inter ficou com o vice. Jogando em um Pacaembu lotado, o Corinthians superou o time de Tite por 2 a 0. Na partida de volta, no Beira-Rio, o Colorado não passou de um empate em 2 a 2.
O que o Inter precisa fazer para ser campeão
Com a derrota por 1 a 0 fora, o Colorado precisa ganhar por dois gols de diferença. Qualquer vitória por um gol (não há mais saldo qualificado na Copa do Brasil) levará a decisão para os pênaltis.
Wilton Pereira Sampaio, árbitro Fifa da Federação Goiana de Futebol, será o responsável por comandar a partida entre Inter e Athletico-PR. Ele será auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho, de São Paulo, e Bruno Raphael Pires, de Goiás. Braulio da Silva Machado, de Santa Catarina, será o árbitro de vídeo.
Internacional x Athetico Paranaense
Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Edenílson, Rodrigo Lindoso, Patrick, D'Alessandro e Nico López; Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.
Santos; Khellven, Robson Bambu, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington Martins, Bruno Guimarães, Léo Citadini, Nikão e Rony; Marco Rúben (Marcelo Cirino). Técnico: Thiago Nunes.
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO).

Furacão sofre com a chuva e não treina na Capital

A forte chuva que caiu sobre Porto Alegre atrapalhou a chegada do Athletico-PR, no final da tarde ontem. A delegação passou um longo período dentro da aeronave aguardando a liberação do aeroporto Salgado Filho para desembarcar. Com isso, os jogadores do Furacão não foram ao Beira-Rio, onde estava prevista uma atividade. Assim, a coletiva do meia Bruno Guimarães também não ocorreu. Após duas horas de espera, a delegação seguiu diretamente para o hotel.

Pela manhã, ainda em Curitiba, no CT do Caju, o técnico Tiago Nunes comandou o último treinamento antes do jogo. Ele não deve promover nenhuma surpresa na escalação do Furacão, que tende a ser a mesma que venceu por 1 a 0, na semana passada, na Arena da Baixada.

Em casa de uma derrota pela diferença de um gol, a decisão será nos pênaltis. Em função disso, os jogadores focaram na bola parada. E os paranaenses trazem à Capital um retrospecto impressionante: nas últimas seis decisões da marca da cal, o Furacão venceu todas.

A torcida fez uma grande festa no embarque da equipe no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais. Com cânticos de apoio, faixas, instrumentos e bandeiras, os atleticanos fizeram muito barulho. Com um corredor humano, todos os jogadores foram celebrados da descida do ônibus até a entrada no aeroporto. O episódio triste ficou por conta de um torcedor que teve uma mão decepada ao tentar disparar um foguete.

Comentários CORRIGIR TEXTO