Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa do Brasil

Edição impressa de 08/08/2019. Alterada em 07/08 às 23h38min

Inter vence o Cruzeiro e fica a um empate da decisão

Edenílson anotou o único gol da partida

Edenílson anotou o único gol da partida


/RICARDO DUARTE/INTER/DIVULGAÇÃO/JC
O Inter deu, ontem à noite, mais uma mostra da grande fase que vive em 2019. Em pleno Mineirão, o Colorado não tomou conhecimento do Cruzeiro, maior campeão da Copa do Brasil, e conquistou uma grande vantagem para chegar à final do torneio. Com a vitória por 1 a 0, o time de Odair Hellmann precisa apenas de um empate no dia 4 de setembro, no Beira-Rio, para se garantir na decisão.
O Inter deu, ontem à noite, mais uma mostra da grande fase que vive em 2019. Em pleno Mineirão, o Colorado não tomou conhecimento do Cruzeiro, maior campeão da Copa do Brasil, e conquistou uma grande vantagem para chegar à final do torneio. Com a vitória por 1 a 0, o time de Odair Hellmann precisa apenas de um empate no dia 4 de setembro, no Beira-Rio, para se garantir na decisão.
É verdade que os mineiros, hexacampeões, vivem um péssimo momento - com o jogo de ontem, já somam oito jogos sem fazer gol, e, nas últimas 18 partidas, venceram apenas uma. Mesmo assim, esperava-se que a equipe do técnico Mano Menezes fosse dar mais trabalho.
Notícias sobre o Internacional são importantes para você?
O primeiro tempo foi bastante fraco. O Cruzeiro teve volume de jogo, mas não foi capaz de criar jogadas perigosas. Duas conclusões de Sassá, bem longe do gol, foram o melhor que os donos da casa conseguiram fazer. Com Rafael Sobis no lugar de D'Alessandro, suspenso, o Inter se limitou a aproveitar os erros de passe do time da casa - que, por sinal, foram muitos. O Colorado só teve uma boa jogada aos 41 minutos, quando um cruzamento de Nico López percorreu a pequena área e não encontrou ninguém.
Os donos da casa apostaram em um futebol mais agressivo na etapa final, mas os erros se repetiam. Do lado colorado, Odair Hellmann resolveu explorar melhor os contra-ataques, colocando Wellington Silva. Surtiu efeito quase que imediatamente: o time começou a gostar do jogo e criou as melhores oportunidades da partida até então. Aos 25, Edenilson tocou de calcanhar para Wellington, que chutou forte. Fábio salvou e, um minuto depois, defendeu arremate à queima-roupa de Paolo Guerrero.
Na terceira tentativa, porém, Fábio não conseguiu segurar o Inter. Aos 32, após cobrança de falta de Guerrero, o goleiro fez uma grande defesa, mas deu rebote para Edenilson, que não perdoou: 1 a 0. Nervoso, o Cruzeiro partiu para uma pressão desesperada e infrutífera. Esbanjando tranquilidade, os gaúchos deram um grande passo para chegar à final da Copa do Brasil.
Cruzeiro 0 x 1 Inter
Fábio; Orejuela, Dedé, Léo e Dodô; Henrique e Ariel Cabral (Maurício); Robinho (Marquinhos Gabriel), Thiago Neves e Pedro Rocha; Sassá (Fred). Técnico: Mano Menezes.
Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso e Edenilson (Nonato); Nico López (Wellington Silva), Rafael Sobis (Sarrafiore) e Patrick; Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia