Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Jogos Pan Americanos

07/08/2019 - 15h26min. Alterada em 07/08 às 15h26min

Com ouro na natação, Brasil reassume vice-liderança de medalhas no Pan

Em sua estreia na competição, João Gomes faturou o ouro ao vencer a prova de 100m peito

Em sua estreia na competição, João Gomes faturou o ouro ao vencer a prova de 100m peito


Jonne Roriz/COB/JC
Agência Brasil
Uma semana depois de encerrar a participação no Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju, na Coréia do Sul, com sete medalhas, a natação brasileira estreou com força total no primeiro dia da modalidade no Pan de Lima. Foram aos todo seis medalhas no centro aquático da capital peruana: três de ouro (João Gomes, Leonardo de Deus e equipe masculina), duas pratas (Fernando Scheffer e equipe feminina) e um bronze (Luiz Altamir). Com tantos triunfos, o Brasil voltou a ocupar a vice-liderança com 89 medalhas (27 ouros, 22 pratas, e 40 bronzes). O primeiro lugar permanece com os Estados Unidos, que soma 158 medalhas (63 ouros, 51 pratas, e 44 bronzes).
Uma semana depois de encerrar a participação no Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju, na Coréia do Sul, com sete medalhas, a natação brasileira estreou com força total no primeiro dia da modalidade no Pan de Lima. Foram aos todo seis medalhas no centro aquático da capital peruana: três de ouro (João Gomes, Leonardo de Deus e equipe masculina), duas pratas (Fernando Scheffer e equipe feminina) e um bronze (Luiz Altamir). Com tantos triunfos, o Brasil voltou a ocupar a vice-liderança com 89 medalhas (27 ouros, 22 pratas, e 40 bronzes). O primeiro lugar permanece com os Estados Unidos, que soma 158 medalhas (63 ouros, 51 pratas, e 44 bronzes).
O capixaba João Gomes, de 33 anos, estreante nos Jogos Pan-Americanos, foi o primeiro a subir no lugar mais alto do pódio: veterano, ele faturou o ouro ao vencer a prova de 100m peito ao concluir em 59seg51. A prata e o bronze, respectivamente, ficaram com os norte-americanos Cody Miller (59seg57) e Kevin Cordes (1m00seg36). A conquista teve um sabor especial para o capixaba João Gomes, que não pode competir no último Pan, em Toronto, devido a um caso positivo de doping.
O Brasil também dominou a prova do revezamento 4x100m masculino, com direito a recorde pan-americano e o hexacampeonato. A equipe formada por Breno Correia, Marcelo Chierighini, Bruno Fratus e Pedro Spajari completaram a prova em 3m12s61. Os Estados Unidos foram prata com a marca de 3min14seg49 e o México levou o bronze, com 3m17seg70. Foi o sexto título seguido no Brasil no revezamento em Jogos Pan-Americanos, e Bruno Fratus também esteve presente nas conquistas de 2011e 2015.
Esta madrugada foi dourada para o sul-mato-grossense Leonardo de Deus: ele se tornou tricampeão consecutivo da prova dos 200m estilo borboleta. O brasileiro chegou em primeiro lugar (1m55seg86),deixando para trás o norte-americano Samuel Pomajevich (1m57seg35) e o colombiano Jonhatan Gomez (1m57seg75) .
Outro destaque foi a equipe feminina no revezamento 4x100m livre. Etiene Medeiros, Larissa Martins de Oliveira, Manuella Lyrio e Daynara de Paula asseguraram a prata com o tempo de 3m40seg39, atrás equipe norte-americana (3m39seg59) , que faturou o título. O bronze ficou com a equipe do Canadá (3m41s01).
E fechando a madrugada, faltou pouco para o brasileiro Fernando Scheffer levar o ouro na prova dos 400m livre masculino. O gaúcho liderou boa parte da disputa, mas nos 100m finais, foi superado pelo norte-americano Adrew Abruzzo (3m48seg41). Scheffer chegou em segundo lugar (3m49seg60), e Luiz Altamir Melo,natural de Roraima, ficou com o bronze (3m49seg91).
Na disputa de duplas masculinas, deu Brasil contra a Argentina: 4 a 2, depois de um confronto emocionante. Do lado verde e amarelo estava o número seis do mundo, o carioca Hugo Calderano, e o paulista Gustavo Tsuboi, atual 32º no ranking mundial. Do lado dos hermanos, Gaston Alto (atual 176º) e Horácio Cifuentes (91º).
A dupla brasileira saiu na frente, vencendo com tranquilidade o primeiro set, mas foi atropelada no início da parcial seguinte: os argentinos chegaram a abrir 8 x0 de vantagem. Os brasileiros correram atrás, e até conseguiram empatar em 12 a 12, mas foram os argentinos que fecharam o set, e igualaram o placar 1 x 1. Confiante, a dupla argentina também levou o set seguinte, e virou o placar: 1x2 para os hermanos. O time verde e amarelo reagiu, e arrancou o empate: 2x2. O quinto set, foi um dos mais acirrados, mas Calderano e Tsuboi levaram a melhor e passaram a frente no placar: 3x2. A definição da partida veio nos pontos finais do sexto set, com ataques precisos de Calderano e Tsuboi: os brasileiros fecharam na frente por 12 a 10 e sacramentaram a vitória por 4 sets a 2, que garantiu o título e a medalha de ouro.
Chances de medalhas nesta quarta
O segundo dia de provas de pista do Atletismo – terça-feira (6) o Brasil conquistou um ouro e dois bronzes – promete muita emoção. As disputas começam a partir das 16h. Entre os brasileiros estão Paulo Andre e Rodrigo Nascimento na disputa dos 100m rasos. No arremeso do peso, o catarinense Darlan Romanio é favorito a levar o ouro.
Nas provas de natação, à tarde, o gaúcho Fernando Scheffer e o baiano Breno Correia têm grandes chances de medalhas nos 200m estilo livre.
Na esgrima, a campeã mundial Nathalie Moelhoussen é favorita na espada.
E hoje também tem estreia da seleção brasileira de vôlei feminino, que inicia a busca pela quinta medalha de ouro em Jogos Pan-Americanos. O Brasil enfrenta a seleção de Porto Rico,a partir das 15h.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia