Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

copa do brasil

Edição impressa de 11/07/2019. Alterada em 11/07 às 14h58min

Inter perde para o Palmeiras, mas volta vivo para o Beira-Rio

Derrotar o Palmeiras é uma algo difícil de se conseguir atualmente. Com um futebol sem brilho, mas consistente, o time paulista vem consolidando campanhas vitoriosas. Deste modo, o desafio do Inter na noite de ontem, no Allianz Parque, era, sabidamente, muito complicada. O Colorado foi valente e fez um enfrentamento parelho com os donos da casa, mas foi punido em uma das poucas falhas defensivas. A derrota por 1 a 0 coloca os gaúchos na obrigação de vencer em Porto Alegre, na semana que vem, mas o placar mínimo contrário mantém vivo o time de Odair Hellmann em busca da vaga nas semifinais.
Derrotar o Palmeiras é uma algo difícil de se conseguir atualmente. Com um futebol sem brilho, mas consistente, o time paulista vem consolidando campanhas vitoriosas. Deste modo, o desafio do Inter na noite de ontem, no Allianz Parque, era, sabidamente, muito complicada. O Colorado foi valente e fez um enfrentamento parelho com os donos da casa, mas foi punido em uma das poucas falhas defensivas. A derrota por 1 a 0 coloca os gaúchos na obrigação de vencer em Porto Alegre, na semana que vem, mas o placar mínimo contrário mantém vivo o time de Odair Hellmann em busca da vaga nas semifinais.
O técnico gaúcho manteve sua convicção de uma equipe fechada para jogar fora de casa. Assim, colocou quatro jogadores de marcação no meio deixou D'Alessandro no banco de reservas. O resultado disso não chegou a ser uma surpresa. Um time sem articulação ofensiva, com Paolo Guerrero isolado na frente e, assim, muito pouco participativo na etapa inicial.
O Palmeiras, por sua vez, impressiona pelo pragmatismo somado a uma objetividade que torna o time comandado por Felipão muito perigoso. Jogando de modo simples e verticalizando todas as jogadas, o Verdão troca poucos passes, mas chega ao ataque com dois ou três toques na bola.
Ainda assim, o Colorado tinha a partida sob controle. O gol paulista aos 19 minutos, porém, deu mais ânimo aos donos da casa. Após escanteio pela esquerda, a bola atravessou o campo e chegou para Bruno Henrique na direita. O meio-campista levantou na área, Zé Rafael se antecipou à defesa e desviou de cabeça para vencer Lomba.
A falta de criatividade na armação colorada foi corrigida por Hellmann na segunda etapa, quando D'Ale voltou do vestiário no lugar de Nonato. Com a mudança, os gaúchos cresceram e passaram a incomodar mais a defesa alviverde, mas sem efetividade.
Por outro lado, o Verdão nunca deixou de levar perigo por meio dos contra-ataques. Em um deles, três paulistas tiveram apenas um marcador colorado pela frente, mas Deyverson errou o último passe e desperdiçou a oportunidade.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia