Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 09 de julho de 2019.
Feriado em São Paulo - Revolução Constitucionalista.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

investigação

Alterada em 09/07 às 10h35min

Polícia cumpre mandados de busca e apreensão na sede do Cruzeiro, em Minas

Folhapress
A crise no Cruzeiro parece não ter fim. A Polícia Civil de Minas Gerais realiza mandados de busca e apreensão nas dependências do clube e nas residências de dirigentes e agentes ligados à cúpula na manhã desta terça-feira (9).
A crise no Cruzeiro parece não ter fim. A Polícia Civil de Minas Gerais realiza mandados de busca e apreensão nas dependências do clube e nas residências de dirigentes e agentes ligados à cúpula na manhã desta terça-feira (9).
A diretoria diz apoiar as investigações por meio de nota, mas lamenta que seja às vésperas das quartas de final da Copa do Brasil, que o time celeste começará a disputar na quinta-feira (11), em confronto de ida com o rival Atlético-MG.
Os agentes foram à sede administrativa, aos dois centros de treinamentos (Toca da Raposa I e Toca da Raposa II), à sede da Máfia Azul (maior torcida organizada) e às sedes das empresas IMM Assessoria e Consultoria Esportiva (ligada a Itair Machado) e Status Assessoria (ligada a Sergio Nonato dos Reis).
Há mandado também para busca e apreensão nas residências do presidente do clube, Wagner Pires de Sá, do vice de futebol, Itair Machado, do diretor-geral, Sergio Nonato dos Reis, dos agentes Carlinhos Sabiá e Ângelo Pimentel, e do empresário Cristiano Richard dos Santos Machado, que emprestou R$ 2 milhões aos mineiros no ano passado.
O Cruzeiro é investigado pela Polícia Civil por supostas transações irregulares, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. O inquérito teve início em maio de 2019, logo após a veiculação de uma reportagem pelo "Fantástico" (TV Globo).
Uma das irregularidades era a cessão de 20% dos direitos econômicos de uma criança de 11 anos à época (Estevão William). Depois de contrair o empréstimo citado com o empresário Cristiano Richard, em março de 2018, a diretoria cedeu direitos de dez atletas para realizar o pagamento do empréstimo.
O clube deu a seguinte explicação à época: "O Cruzeiro firmou contrato de mútuo (empréstimo) com o Sr. Cristiano Richard em março de 2018, em momento de grande dificuldade financeira e para fazer frente a pagamentos emergenciais como impostos, encargos financeiros e outros compromissos. Entretanto, o Cruzeiro nunca firmou contrato intermediação desportiva de atletas com o Sr. Cristiano Richard, sendo que o pagamento feito ao mesmo diz respeito somente à liquidação (parcial) do empréstimo, conforme contrato mencionado".

Confira, abaixo, a nota oficial divulgada pelo Cruzeiro:

"A diretoria do Cruzeiro Esporte Clube vem a público manifestar seu apoio às apurações das denúncias feitas pelo programa Fantástico, da Rede Globo, no dia 26 de maio passado.
O Clube informa que entregou às autoridades toda a documentação solicitada para a investigação.
Lamentamos apenas que este fato esteja acontecendo exatamente às vésperas de uma decisão importante na Copa do Brasil.
O Cruzeiro Esporte Clube informa que continuará à disposição das autoridades competentes para quaisquer tipos de outros esclarecimentos necessários.
Belo Horizonte, 9 de julho de 2019".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia