Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de junho de 2019.
Dia do Cinema Brasileiro.

Jornal do Comércio

Esportes

CORRIGIR

Copa América

19/06/2019 - 00h00min. Alterada em 19/06 às 00h07min

Brasil decepciona e fica no 0 a 0 com a Venezuela

Apesar do empate, equipe de Tite segue na liderança do Grupo A

Apesar do empate, equipe de Tite segue na liderança do Grupo A


JUAN MABROMATA/AFP/JC
Ao contrário do que ocorreu diante da Bolívia, a seleção brasileira não conseguiu embalar e derrotar seu segundo (e fraco) adversário na Copa América. Com dificuldades para acertar as finalizações e também um pouco de azar – especialmente em uma bela jogada de Everton que resultou em gol de Philippe Coutinho, posteriormente anulado pelo árbitro de vídeo –, o time comandado por Tite não passou de um empate em 0 a 0 com a Venezuela nesta terça-feira (18), na Arena Fonte Nova, em Salvador.
Ao contrário do que ocorreu diante da Bolívia, a seleção brasileira não conseguiu embalar e derrotar seu segundo (e fraco) adversário na Copa América. Com dificuldades para acertar as finalizações e também um pouco de azar – especialmente em uma bela jogada de Everton que resultou em gol de Philippe Coutinho, posteriormente anulado pelo árbitro de vídeo –, o time comandado por Tite não passou de um empate em 0 a 0 com a Venezuela nesta terça-feira (18), na Arena Fonte Nova, em Salvador.
O Brasil segue em primeiro lugar no Grupo A, e basta um empate diante do Peru no sábado, às 16h, na Arena Corinthians, para confirmar a vaga nas quartas de final. No entanto, só a vitória garante a primeira posição da chave.
O Brasil teve grande volume de jogo no primeiro tempo - quase 80% de posse de bola - mas pouca efetividade. Jogando aberto, o time canarinho ainda correu risco em um contra-ataque, quando um cabeceio passou rente à trave de Alisson. Aos 37, Firmino chegou a colocar a bola na rede, mas o árbitro assinalou falta do atacante. Organizada, a defesa venezuelana conseguiu segurar bem os ataques da equipe da casa, que foi para o vestiário sob um misto de aplausos e vaias.
Tentando tornar sua equipe mais incisiva, Tite colocou Gabriel Jesus no lugar de Richarlison. E o atacante do Manchester City chegou a balançar as redes, aos 12 minutos, mas como Firmino, que participou do início do lance, estava impedido, o lance foi anulado com ajuda do árbitro de vídeo. O Brasil seguiu na pressão, e, após a entrada do contestado Fernandinho, o treinador arriscou sua última cartada com Everton.
Inicialmente, a troca resultou mais em vibração das arquibancadas do que em jogadas de ataque, pois a bola praticamente não chegava ao jogador do Grêmio. Aos 41, em grande jogada, Cebolinha limpou a marcação e, da linha de fundo, cruzou para Philippe Coutinho balançar as redes. Porém, mais uma vez com auxílio do VAR, o juiz anulou o gol, já que a bola havia tocado em Firmino antes de entrar. Após mais alguns lances desperdiçados, o Brasil deixou o gramado sob vaias da torcida baiana.
Brasil 0 x 0 Venezuela
Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva, Marquinhos e Filipe Luís; Casemiro (Fernandinho); Arthur, Philippe Coutinho, Richarlison (Gabriel Jesus) e Roberto Firmino; David Neres (Everton). Técnico: Tite.
 Fariñez; Rosales, Osorio, Villanueva e Hernández; Moreno, Herrera (Soteldo) e Rincón; Machís (Figuera), Rondón (Josef Martínez) e Murillo. Técnico: Rafael Dudamel. Técnico: Rafael Dudamel.
Árbitro: Julio Bascuñan (Chile).
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia