Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 07 de junho de 2019.
Dia da Liberdade de Imprensa.

Jornal do Comércio

Esportes

CORRIGIR

fórmula 1

Alterada em 07/06 às 17h39min

Hamilton bate e Ferrari domina o segundo treino livre do GP do Canadá de F-1

Hamilton lidera o mundial de pilotos com 137 pontos

Hamilton lidera o mundial de pilotos com 137 pontos


MARK THOMPSON/GETTY IMAGES/AFP/JC
Estadão Conteúdo
A sexta-feira do GP do Canadá começou com domínio da Mercedes e terminou com a Ferrari na frente, no Circuito Gilles Villeneuve, em Montreal. A equipe alemã conseguiu uma dobradinha no primeiro treino livre da sétima etapa da temporada 2019 da Fórmula 1, com Lewis Hamilton à frente de Valtteri Bottas, mas viu Charles Leclerc e Sebastian Vettel ficarem nas respectivas liderança e na segunda posição no último trabalho de pista do dia.
Este segundo treino livre foi realizado em ritmo mais lento do que o esperado. O tempo obtido pelo piloto monegasco (1min12s177) para garantir a ponta foi apenas 21 milésimos de segundo mais rápido em relação ao que assegurou a primeira posição da segunda sessão do GP canadense de 2018, quando o holandês Max Verstappen, da Red Bull, liderou com a marca de 1min12s198. Já o alemão Vettel fechou esta sexta-feira com um tempo 0s074 mais lento (1min12s251) do que o seu parceiro de Ferrari.
A segunda sessão livre em Montreal foi marcada pela batida de Lewis Hamilton entre as curvas 8 e 9, que causou o estouro do pneu traseiro direito e a quebra da suspensão direita traseira de sua Mercedes. Com o composto se deteriorando, o cinco vezes campeão mundial conseguiu levar o carro para os boxes e a sua equipe trocou toda a parte traseira do bólido, incluindo a caixa de câmbio, mas o líder do campeonato não regressou para a pista.
Mesmo assim, Hamilton fez o sexto tempo da segunda sessão (1min12s938). Bottas, com a outra Mercedes, foi o terceiro colocado (1min12s311), seguido pelo espanhol Carlos Sainz, da McLaren, (1min12s553), enquanto o dinamarquês Kevin Magnussen, da Haas, assegurou o quinto lugar ao completar a sua melhor volta em 1min12s935.
O mexicano Sergio Pérez levou o carro da Racing Point para a sétima posição (1min13s003), à frente do australiano Daniel Ricciardo, da Renault (1min13s016). O alemão Nico Hülkenberg, também da Renault, marcou o nono tempo (1min13s168), seguido pelo canadense Lance Stroll, da Racing Point, que fechou a lista dos dez mais rápidos ao cronometrar 1min13s171. Verstappen, quarto colocado no Mundial pela Red Bull, ficou apenas com o 13º lugar neste treino (1min13s388).
Os pilotos reclamaram muito dos pneus durante o treino. Leclerc, de compostos médios, disse que o material superaqueceu, enquanto Magnussen se queixou por causa da falta de aderência. Vettel, de macios, avisou os boxes que os pneus estavam acabando rápido demais.
Os carros voltam para a pista neste sábado, às 12 horas (de Brasília), para o terceiro treino livre. A sessão classificatória para o grid de largada do GP do Canadá será às 15h, enquanto a largada da corrida ocorrerá às 15h10 do domingo.
Após seis etapas disputadas, Hamilton lidera o Mundial, com 137 pontos, à frente de Bottas, que tem 120. Vettel soma 82, enquanto Verstappen contabiliza 78. Com 57 pontos, Leclerc é apenas o quinto colocado.
CORRIGIR