Porto Alegre, quarta-feira, 29 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 29 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Libertadores

- Publicada em 23h54min, 07/05/2019. Atualizada em 23h54min, 07/05/2019.

Inter fica no 2 a 2 com o River Plate

Sóbis foi o destaque do Colorado em Buenos Aires

Sóbis foi o destaque do Colorado em Buenos Aires


/RICARDO DUARTE/DIVULGAÇÃO/INTER/JC
O jogo não parecia valer grande coisa: Inter e River Plate já haviam garantido a primeira e a segunda colocação do Grupo A da Libertadores da América, respectivamente. Mesmo assim, as duas equipes fizeram uma partida agitada no Monumental de Nuñez, e por pouco o Colorado não saiu de Buenos Aires com uma vitória. A estrela de Rafael Sobis, decisivo nos dois títulos continentais do clube, brilhou mais uma vez. O camisa 23 marcou dois gols, mas a vitória escapou nos acréscimos, após falha de Marcelo Lomba que resultou no empate em 2 a 2. O Inter tem a segunda melhor campanha da fase de grupos (só é superado pelo Cruzeiro, mas pode ser ultrapassado por outras três equipes) e vai decidir em casa nas próximas fases.
O jogo não parecia valer grande coisa: Inter e River Plate já haviam garantido a primeira e a segunda colocação do Grupo A da Libertadores da América, respectivamente. Mesmo assim, as duas equipes fizeram uma partida agitada no Monumental de Nuñez, e por pouco o Colorado não saiu de Buenos Aires com uma vitória. A estrela de Rafael Sobis, decisivo nos dois títulos continentais do clube, brilhou mais uma vez. O camisa 23 marcou dois gols, mas a vitória escapou nos acréscimos, após falha de Marcelo Lomba que resultou no empate em 2 a 2. O Inter tem a segunda melhor campanha da fase de grupos (só é superado pelo Cruzeiro, mas pode ser ultrapassado por outras três equipes) e vai decidir em casa nas próximas fases.
Como esperado, o técnico Odair Hellmann poupou D'Alessandro, Edenilson e Patrick, pendurados pelo terceiro cartão amarelo. Mesmo com time misto, o Colorado se movimentava bem, sem ser ameaçado, mas se arriscava pouco no ataque. Tudo indicava um jogo morno pela frente.
O panorama mudou a partir da metade da primeira etapa, com conclusões de Cristian Ferreira, pelo River, e Nico López, pelo Inter. Aos 28, Moledo salvou cabeceio de Álvarez em cima da linha, mas, seis minutos depois, o atacante acabou marcando. Após lençol de Palacios em Dourado, o camisa 9 recebeu livre - e impedido -, encobrindo Marcelo Lomba. Sem a presença do VAR na fase de grupos, o gol foi validado, para irritação dos colorados.
O River começou a gostar do jogo, mas levou uma ducha de água fria aos 44: após rápida cobrança de falta, Lindoso tocou para Sobis, que arriscou quase do meio-campo. O goleiro Armani não esboçou reação e apenas viu a bola estufar as redes.
O segundo tempo começou com o Inter pressionando. Surpresos, os argentinos não demonstraram reação e viram o adversário enfileirar oportunidades. Aos 11, após cobrança de falta na área, Moledo foi derrubado por Lollo e o árbitro marcou pênalti. Sobis converteu sem chances para Armani, colocando o Colorado na frente.
Mesmo apoiado pela torcida, o time argentino parecia batido, e só não levou mais porque os jogadores colorados não estavam bem de pontaria. Quase no final da partida, D'Alessandro, ídolo tanto em Nuñez como no Beira-Rio, foi ovacionado pelo estádio ao entrar em campo. O barulho só não foi maior que o da vibração provocada por um gol de Lucas Pratto, já no apagar das luzes. Aos 47 minutos, o atacante aproveitou uma bobeada de Lomba, que soltou a bola na sua frente, e salvou o River da derrota.
O próximo compromisso do Inter é pelo Campeonato Brasileiro. No domingo, às 16h, o time gaúcho recebe o Cruzeiro.
River Plate 2 x 2 Internacional
Franco Armani; Camilo Mayada, Robert Rojas, Luciano Lollo e Fabricio Angileri; Bruno Zuculini (Enzo Pérez), Cristian Ferreira (Ignacio Fernández), Exequiel Palacios (jorge Carrascal) e Nicolas de la Cruz; Julián Álvarez e Lucas Pratto. Técnico: Marcelo Gallardo.
Marcelo Lomba; Zeca, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Rodrigo Lindoso e Nonato (Patrick); Guilherme Parede, Nico López (Andrés D'Alessandro) e Rafael Sóbis (William Pottker). Técnica: Odair Hellmann.
Árbitro: Piero Maza (CHI).
Comentários CORRIGIR TEXTO