Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Vôlei

09/01/2019 - 15h55min. Alterada em 09/01 às 15h55min

FIVB define rivais do vôlei brasileiro na busca por vagas olímpicas

Torneio antes das Olimpíadas distribuirá seis das 12 vagas em cada naipe nos Jogos de Tóquio

Torneio antes das Olimpíadas distribuirá seis das 12 vagas em cada naipe nos Jogos de Tóquio


Valterci Santos/MPIX/CBV/Divulgação/JC
Estadão Conteúdo
As seleções masculina e feminina de vôlei do Brasil já conhecem o caminho que terão pela frente na busca por uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Nesta quarta-feira (9), a Federação Internacional de Voleibol (FIVB) divulgou os grupos dos torneios pré-olímpicos, determinados a partir dos rankings da entidade, sendo que as chaves com presença brasileira estão marcadas para agosto. Mas os locais de realização ainda não foram determinados.
Atual campeã olímpica e líder do ranking mundial, a seleção masculina vai encarar Egito, Bulgária e Porto Rico no classificatório. A competição, que ocorrerá entre 9 e 11 de agosto, será o principal foco da equipe em 2019, temporada que também contará com Liga das Nações, Campeonato Sul-Americano, Pan e Copa do Mundo, como destacou o técnico Renan Dal Zotto.
"O Pré-Olímpico é extremamente importante e perigoso. É uma competição de tiro curto, onde não podemos cometer falhas. Todo jogo vale a classificação. Sabemos que a Bulgária, até pela tradição, é a seleção mais perigosa, mas Egito e Porto Rico, claro, também exigem muito cuidado. Nosso foco vai estar total neste torneio, que consideramos o mais importante do ano", disse Renan.
A seleção feminina entrará em quadra em busca da vaga olímpica entre 2 e 4 de agosto. E os seus rivais vão ser República Dominicana, Camarões e Azerbaijão. O técnico José Roberto Guimarães alertou para o perigo de confrontos contra alguns adversários que estão em ascensão.
"É um grupo forte, com seleções que têm se desenvolvido nos últimos anos. As três equipes participaram do último Mundial e mostraram uma melhora significativa. A República Dominicana tem no comando um brasileiro, o Marquinhos, e muito potencial de ataque. O Azerbaijão joga com bolas altas e tem jogadoras experientes que participam dos grandes campeonatos da Europa. Já Camarões tem melhorado a cada competição. Sabemos que será um ano de muito trabalho e vamos em busca dos melhores resultados possíveis", contou o treinador.
Os torneios classificatórios intercontinentais distribuirão seis das 12 vagas em cada naipe nos Jogos de Tóquio. País-sede da Olimpíada, o Japão possui direito a uma chave em cada torneio. Já as outras cinco vagas vão ser distribuídas através de torneios continentais.
Confira os grupos dos torneios pré-olímpicos do vôlei:
Masculino
Grupo A: Brasil, Egito, Bulgária e Porto Rico.
Grupo B: Estados Unidos, Bélgica, Holanda e Coreia do Sul.
Grupo C: Itália, Sérvia, Austrália e Camarões.
Grupo D: Polônia, França, Eslovênia e Tunísia.
Grupo E: Rússia, Irã, Cuba e México.
Grupo F: Canadá, Argentina, Finlândia e China.
Feminino
Grupo A: Sérvia, Porto Rico, Tailândia e Polônia.
Grupo B: China, Turquia, Alemanha e República Checa.
Grupo C: Estados Unidos, Argentina, Bulgária e Casaquistão.
Grupo D: Brasil, República Dominicana, Camarões e Azerbaijão.
Grupo E: Rússia, Coreia do Sul, Canadá e México.
Grupo F: Holanda, Itália, Bélgica e Quênia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia