Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 06 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Campeonato Brasileiro

06/10/2018 - 22h33min. Alterada em 06/10 às 22h38min

Palmeiras vence São Paulo, se isola na liderança e quebra tabu no Morumbi

Palmeiras chegou a 56 pontos e abriu três de vantagem para o segundo colocado

Palmeiras chegou a 56 pontos e abriu três de vantagem para o segundo colocado


PALMEIRAS/DIVULGAÇÃO/JC
Folhapress
Com dois gols no primeiro tempo, o Palmeiras venceu o clássico contra o São Paulo por 2 a 0, neste sábado (6), no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro, e se isolou na liderança do Campeonato Brasileiro. O jogo poderia alçar o São Paulo a líder da competição ou firmar o Palmeiras na primeira colocação. Com o triunfo, o time alviverde chegou a 56 pontos e abriu três de vantagem para o segundo colocado.
De quebra, o Palmeiras acabou com um tabu de 16 anos. O último triunfo da equipe alviverde sobre o Tricolor, no Morumbi, havia acontecido no Torneio Rio-São Paulo de 2002. Na ocasião, o Palmeiras fez 4 a 2. Desde então, o retrospecto apontava 15 vitórias são-paulinas e nove empates.
Com a derrota, o São Paulo se manteve com 52 pontos e completa quatro partidas sem vitória. Antes de perder para o Palmeiras, o time de Diego Aguirre havia empatado com Botafogo, América-MG e Santos. O Palmeiras decidiu a vitória no primeiro tempo. O primeiro gol saiu aos 33min e foi marcado pelo zagueiro Gustavo Gómez, de cabeça, após cobrança de escanteio de Dudu. Quatro minutos mais tarde, Deyverson fez o segundo, também de cabeça, em cruzamento de Mayke.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia