Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 25 de setembro de 2018.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Futebol Internacional

Edição impressa de 25/09/2018. Alterada em 25/09 às 01h00min

Modric é o melhor do mundo; Marta vence pela 6ª vez

Premiação da Fifa foi realizada ontem em Zurique, na Suíça

Premiação da Fifa foi realizada ontem em Zurique, na Suíça


/BEN STANSALL/AFP/JC

O croata Luka Modric quebrou o duopólio de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi no prêmio de melhor do mundo na Fifa. O meia de 33 anos foi escolhido o craque de 2018 ontem, em cerimônia realizada em Zurique, na Suíça. A festa brasileira ficou por conta de Marta, eleita a melhor jogadora do mundo pela sexta vez. A última vitória dela havia sido em 2010.

Modric foi fundamental na campanha de mais um título da Liga dos Campeões pelo Real Madrid, mas, principalmente, por levar a Croácia à final da Copa. O jogador, que já havia sido escolhido o melhor do Mundial da Rússia, bateu Cristiano Ronaldo, que não compareceu na festa, e o egípcio Mohamed Salah. Desde 2008, os vencedores foram sempre Cristiano Ronaldo ou Lionel Messi - cada um ganhou cinco vezes. O português foi eleito nas três últimas temporadas. Este ano foi o primeiro, desde 2006, em que o argentino não foi finalista.

Salah levou como consolação o Prêmio Puskas de gol mais bonito da temporada, marcado contra o Everton, pelo Campeonato Inglês. Didier Deschamps, campeão mundial com a França, foi escolhido o melhor treinador. Já Thibaut Courtois, do Real Madrid, foi eleito o melhor goleiro do ano pela entidade.

O feito de Marta é um recorde entre mulheres e homens. Jogadora do Orlando Pride, dos EUA, a brasileira desbancou a norueguesa Ada Hegerberg e a húngara Dzsenifer Marozsán, ambas do Lyon.

"Realmente estou sem palavras", disse a alagoana Marta, sem esconder as lágrimas. "Desde o momento em que enxerguei que a melhor coisa que eu fazia na vida era jogar futebol, um esporte tão fantástico, só tenho a agradecer. Primeiro a Deus, por me dar saúde constantemente para buscar meus objetivos. Não podia deixar de agradecer as minhas companheiras de clube e seleção. As pessoas que estão comigo constantemente me dando suporte. E aos fãs e jornalistas. Isso é fantástico. É um momento mágico", celebrou a atleta de 32 anos.

Pela sexta vez, Marta leva o prêmio e bate recorde

Eleita a melhor jogadora do planeta pela sexta vez, um recorde entre mulheres e homens, a brasileira Marta, jogadora do Orlando Pride, dos Estados Unidos, desbancou a norueguesa Ada Hegerberg e a húngara Dzsenifer Marozsán, ambas do Lyon, da França. A brasileira não levantava o troféu desde 2010. Ela faturou também em 2006, 2007, 2008 e 2009.

"Realmente estou sem palavras. É um momento fantástico. As pessoas falam para mim assim: você já esteve nesta posição muitas vezes. Todas as vezes você se emociona. Realmente, eu me emociono porque isso representa muito para mim", disse Marta, sem esconder as lágrimas.

"Desde o primeiro momento em que eu enxerguei que a melhor coisa que eu fazia na vida era jogar futebol, um esporte tão fantástico, eu só tenho a agradecer. Primeiro a Deus, por me dar saúde constantemente para eu poder buscar os meus objetivos. Não podia deixar de agradecer as minhas companheiras do clube e da seleção. As pessoas que estão comigo constantemente me dando suporte. E aos fãs e jornalistas. Isso é fantástico. É um momento mágico", celebrou a jogadora de 32 anos, que já foi indicada 14 vezes ao prêmio.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia