Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de agosto de 2018.
Dia do Psicólogo e do Corretor de Imóveis.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Inter

27/08/2018 - 21h12min. Alterada em 27/08 às 21h12min

Guerrero reafirma inocência e diz que entrará com novo recurso na Suíça

O jogador peruano do Inter tenta provar sua inocência

O jogador peruano do Inter tenta provar sua inocência


RICARDO DUARTE/INTER/JC
Estadão Conteúdo
Novamente suspenso do futebol e impedido de exercer sua profissão, o atacante Paolo Guerrero cumpriu o que prometera e anunciou nesta segunda-feira que voltará a entrar com um recurso junto ao Tribunal Federal da Suíça. O jogador peruano do Inter tenta provar sua inocência na acusação de doping que o deixa afastado dos gramados.
Na última quinta-feira, a Justiça suíça anunciou a cassação do efeito suspensivo obtido por Guerrero às vésperas da Copa do Mundo e que o permitia atuar, inclusive na competição na Rússia. Inicialmente, foi divulgado que a decisão não permitia mais recursos à defesa do jogador, que, por sua vez, entendeu diferente e agora tenta uma nova cartada para interromper a suspensão.
"A defesa de Guerrero se encontra elaborando os recursos necessários para poder demonstrar a inocência de Paolo e reverter a situação atual. Estes recursos serão apresentados nos próximos dias diante do Tribunal Federal da Suíça por quem exerce a defesa de Paolo", informou o atacante em comunicado nas redes sociais.
Guerrero foi suspenso por um ano por uso de benzoilecgonina, um metabólito da cocaína, no fim de 2017. Depois de um recurso na própria Fifa, a pena caiu para seis meses, mas a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) aceitou um novo recurso, desta vez da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), e ampliou a punição para 14 meses.
Em busca da oportunidade de disputar a Copa, Guerrero foi até a última instância e, às vésperas do torneio, conseguiu um efeito suspensivo junto ao tribunal da Suíça. Mas, agora, a Justiça do próprio país derrubou a liminar e reativou a suspensão do atacante, que, desta forma, está impedido de atuar pelos próximos oito meses.
Para interromper a punição e retornar aos gramados, Guerrero aposta na mesma defesa apresentada nos últimos meses e garante que a ingestão da substância aconteceu graças a um chá servido pelo hotel que abrigava a seleção peruana antes de uma partida contra a Argentina, em outubro do ano passado, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.
De lá para cá, Guerrero deixou o Flamengo e se transferiu para o Inter, pelo qual estrearia no último domingo se não fosse a retomada da suspensão. O jogador, aliás, fez questão de agradecer os esforços da diretoria colorada no caso, comportamento diferente ao que teve na Gávea, quando teria ficado chateado com a atuação do clube rubro-negro no imbróglio
"Mais uma vez, Paolo Guerrero agradece o apoio permanente do povo peruano, da torcida no Brasil e das instituições e profissionais que estão colaborando e contribuindo de maneira ativa e generosa em sua defesa, em especial do Sport Club Internacional por meio de toda a sua diretoria, atletas e torcida espetacular que tão bem o receberam, situação esta que o estimula e enche de energia e otimismo em um momento particularmente difícil que, como tantos outros, haverá de superar."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia