Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de agosto de 2018.
Dia do Filósofo.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa do Brasil

Edição impressa de 16/08/2018. Alterada em 16/08 às 00h32min

Domínio sem objetividade sela eliminação do Grêmio

Personagens da partida, Everton Ribeiro marcou após falha de Cortez

Personagens da partida, Everton Ribeiro marcou após falha de Cortez


LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA/jc
O Grêmio jogou melhor que o Flamengo ontem. Teve mais posse de bola, mais presença no campo adversário e mais volume. Se houve algo que a Copa do Mundo da Rússia mostrou, porém, foi que tudo isso já não garante mais nada. Jogando defensivamente, buscando uma ou outra escapada, o Flamengo foi mortal numa das únicas oportunidades que teve e, com a vitória por 1 a 0, no Maracanã, garantiu a vaga às semifinais da Copa do Brasil e mandou o Grêmio de volta para Porto Alegre com o peso da derrota e da eliminação.
O primeiro tempo de partida não chegou a ser um monólogo gremista, mas foi um grande discurso com alguns apartes flamenguistas. O problema é que os donos da casa falaram menos, mas mais alto. E foi logo aos 4 minutos que a estratégia gaúcha foi por água abaixo. Vitinho levou pela esquerda e colocou na área. Cortez falhou feio, errou o chute, e a bola sobrou para Lucas Paquetá que deixou atrás para Everton Ribeiro chegar finalizando de primeira, no canto esquerdo de Marcelo Grohe.
O time de Renato Portaluppi não pareceu ter sentido o golpe de sair atrás no placar tão cedo. Ganhou terreno, empurrou os cariocas para trás e jogou no campo de ataque. O gol no início, entretanto, fez o Flamengo mudar o estilo tradicional de seu jogo, de ir à frente e, assim, dar espaços na defesa.
Com o Rubro-Negro cauteloso, esperando, o Grêmio voltou a repetir as dificuldades já apresentadas anteriormente quando enfrentou equipes retraídas: muitos passes laterais e pouca verticalidade nas ações. Com Luan, Everton e André apagados, o ataque dos visitantes praticamente inexistiu no primeiro tempo, apesar dos 65% de posse de bola para os gaúchos.
O Grêmio voltou para a etapa final decidido a empatar a partida nos dez primeiros minutos. Para isso, fez uma blitz no campo adversário, pressionou, insistiu, mas não furou o bloqueio flamenguista.
Sem conseguir empatar, o Tricolor perdeu ímpeto e o os cariocas cresceram na partida, criando as principais oportunidades de ampliar o marcador. Portaluppi colocou seu time à frente - Jael e Marinho entraram -, mas o ataque não foi municiado e as modificações não conseguiram agregar muito à força ofensiva do time.
Nos minutos finais, Alisson também entrou no jogo para tentar dar ainda mais potência de ataque as gaúchos, mas o time errou muitos passes no meio campo. A entrada de Douglas no meio, talvez, fosse a mais indicada para dar lucidez ao setor e ter um homem para assistir aos jogadores de ataque.
Por fim, uma cobrança de falta lateral de Luan nas mãos de Diego Alves selou a desclassificação gremista no último lance. Agora, resta a Libertadores e o Brasileirão para o Grêmio na temporada.
Flamengo 1 x 0 Grêmio
Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuellar (Willian Arão), Lucas Paquetá e Diego (Romulo); Éverton Ribeiro, Henrique Dourado e Vitinho (Marlos). Técnico: Maurício Barbieri.
Marcelo Grohe; Léo Moura, Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Jaílson, Maicon (Alisson) e Ramiro; Luan, André (Jael) e Everton. Técnico: Renato Portaluppi.
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia