Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de julho de 2018.
Dia do Amigo.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

tênis

Alterada em 20/07 às 20h50min

'Tênis brasileiro ainda não existe', diz Guga

Folhapress
No encontro nacional das 48 escolas de tênis que gerencia, nesta sexta-feira (20), no Esporte Clube Sírio, o ex-número 1 do mundo e tricampeão de Roland Garros Gustavo Kuerten comentou o momento do tênis brasileiro, atualmente com apenas três jogadores no top 200 do ranking masculino.
Rogério Dutra Silva é o 138º, Thiago Monteiro o 145º e Guilherme Clezar o 192º. No feminino, Beatriz Haddad Maia ocupa a 119ª colocação.
"O tênis brasileiro ainda não existe. Existem os tenistas brasileiros. A Bia está lesionada, a Teliana [Pereira] está tentando voltar. Ainda não temos um cenário de tênis brasileiro. A gente fala de personagens. Os duplistas [Marcelo Melo e Bruno Soares] nos carregam, os outros se viram nos 30, mas o tênis brasileiro não pode ser só isso. Tem que ter dez Thomaz [Bellucci] e dez Thiagos [Monteiro]", afirmou Guga, que ressaltou a importância do investimento na base para criar uma geração mais sólida de tenistas.
Sobre o topo do circuito mundial, Guga vê Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic ainda longe dos momentos finais de suas carreiras.
"Eu não descartaria nenhum deles nos próximos três anos, passando esse ciclo olímpico de Tóquio-2020. O Nadal a gente questionava muito, será que chegava nos 30? Agora a gente imagina se ele vai chegar nos 40. Por incrível que pareça, eles estão jogando cada vez melhor", disse o ex-tenista.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia