Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

copa 2018

Notícia da edição impressa de 06/07/2018. Alterada em 06/07 às 01h00min

Surpresa da Copa, Rússia tenta manter embalo contra a Croácia

Dzagoev, fora desde a estreia, treinou e pode reforçar equipe russa

Dzagoev, fora desde a estreia, treinou e pode reforçar equipe russa


ALEXANDER NEMENOV/AFP/JC
Ocupando a posição 70 do ranking da Fifa e com uma sequência de quase um ano sem vitórias em compromissos oficiais, a Rússia estava longe de empolgar a torcida antes da Copa. Em duas semanas, tudo mudou: a seleção classificou-se para os mata-matas, eliminou a favorita Espanha e está a um passo de chegar às semifinais, o que não consegue desde 1966, quando ainda era União Soviética. Para isso, porém, precisa superar a Croácia, às 15h de sábado, em Sochi. Outra quase intrusa entre os favoritos, a seleção croata busca repetir 1998, quando levou o terceiro lugar.
Além do apoio da torcida, a Rússia pode ter um reforço importante. O meia Alan Dzagoev, uma das referências do time, se disse pronto para retornar, após um problema físico que o atingiu ainda na estreia, contra a Arábia Saudita. Ele treinou normalmente nesta quinta-feira, e pode ser uma peça importante rumo ao sonho das semifinais.
Do lado croata, o discurso é de humildade. Uma das lideranças do time, o meia Luka Modric diz que a possibilidade de levar o título é "inimaginável, quase um conto de fadas", e acentuou que os donos da casa são um time "muito desconfortável" de encarar. "Eles correm muito e são bem organizados", elogiou.
Nesta quinta-feira, nenhuma das equipes pôde treinar no estádio Olímpico Fisht, em Sochi, tendo que realizar suas atividades em outros campos extras. O objetivo era preservar o gramado.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia