Porto Alegre, quinta-feira, 25 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

Sial 2018

25/10/2018 - 18h03min. Alterada em 25/10 às 18h23min

Corrida a produtos marca fim de feira de alimentação em Paris

Filas longas foram formadas por pessoas que queriam pegar produtos deixados nos estandes

Filas longas foram formadas por pessoas que queriam pegar produtos deixados nos estandes


PATRÍCIA COMUNELLO /ESPECIAL/JC/
Patricia Comunello, de Paris
O fim do Salão Internacional de Alimentação (Sial), em Paris, gerou cenas inusitadas e até tensas no parque de exposições Paris Nord Villipinte nesta quinta-feira (25). A população fez fila nos portões de entrada à espera da hora em que seria liberado o acesso para pegar produtos que são deixados nos estandes. Produtos de alta qualidade ficam nos balcões e prateleiras.
No portão que separa o parque da estação de metro que da na região, dezenas de pessoas se esprimiam no portão. Do lado de dentro, seguranças tentavam acalmar quem mostrava certa ansiedade em ingressar. Chegou a ocorrer princípio de tumulto, com empurrão no portão e gritos para tentar convencer o staff a liberar o acesso.
Já do lado de dentro dos grandes pavilhões muita gente circulava com sacolas e malas repletas de mercadorias. No ultimo dia, era visível que os visitantes também tinham perfil diferenciado, que não era de homens e mulheres fixados em fazer relacionamento sobre produtos e oportunidades de compra e venda.
A maioria dos mais de 7 mil expositores libera as mercadorias que foram exibidas nos cinco dias de feira. Geladeiras repletas de itens ficaram para traz abarrotadas. Algumas gôndolas também estavam vazias, com embalagens pelo chão, indicando que os visitantes de oportunidade já haviam passado pela área.
Segundo expositores, não vale a pena voltar para casa com os produtos, que são as vedetes de uma das maiores feiras de alimentação do mundo, com uma marca forte de inovação. Um dos pontos altos do evento é a escolha dos três produtos exibidos na área do Innovation Sial.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia