Porto Alegre, quarta-feira, 17 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

Atividade física

Notícia da edição impressa de 18/10/2018. Alterada em 08/10 às 00h00min

Cada um na sua tribo

O Low Pressure Fitness utiliza movimento com a técnica de apneia para a sonhada 'barriga negativa'

O Low Pressure Fitness utiliza movimento com a técnica de apneia para a sonhada 'barriga negativa'


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Deitadas no chão, sobre um colchonete, mulheres de idades variadas respiram fundo para seguir à risca as instruções da educadora física que coordena os movimentos de cima de um tablado. Quando ela ordena a técnica de apneia, todas sustentam as posições sem respirar e sugam o abdome por alguns segundos. Esse é o movimento central de uma das modalidades de treino que são tendência: o Low Pressure Fitness. Algumas praticantes estão ali para relaxar; outras, para se recuperar de cirurgias; outras, ainda, para melhorar a postura. Todas, no entanto, querem a maior promessa dessa modalidade de treino, que é a sonhada "barriga negativa".
Engana-se, no entanto, quem pensa que, por ser tendência, a aula está abarrotada de gente. Pelo contrário. Com duração de apenas 15 minutos, as sessões nunca estão lotadas de alunos que buscam o exercício da moda. "A maior tendência, na verdade, é ver cada um procurando a sua turma. Hoje, já se sabe que cada modalidade tem um objetivo específico. E as pessoas buscam aquilo que vai ajudá-las a atingir os seus objetivos. Quem faz Low Pressure, por exemplo, quer o condicionamento físico, mas também quer relaxar, respirar fundo e controlar a ansiedade", comenta o educador físico Paulo Ayres, especializado em Ciências do Esporte pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e mestre em Ciência Aplicada à Atividade Física pela Universidade de Medicina de Córdoba, na Espanha.
Na onda de baixar a rotação e controlar a ansiedade, a prática do Yoga voltou com tudo ao ambiente das academias. A técnica milenar que combina respiração, alongamento, força e meditação reúne uma tribo eclética, que busca se reconectar com o corpo e consigo mesma, extraindo do exercício a serenidade para enfrentar o dia a dia. Segundo Ayres, as atividades voltadas ao controle do corpo e da mente são cada vez mais populares, reflexo do significativo aumento nos casos de ansiedade e outros transtornos psicológicos causados pelo estresse e pela rotina atribulada.
Outra tendência que chegou com força para quem quer resultados rápidos de emagrecimento e condicionamento físico é o HIIT (sigla em inglês para High Intensity Interval Training, que significa algo como Treino de Alta Intensidade em Intervalos). No ano passado, o American College of Sports Medicine, uma das entidades mais prestigiadas do mundo em medicina esportiva, definiu o HIIT como a descoberta da temporada, pois ele permite a obtenção de resultados rápidos em pouco tempo, com programas curtos de exercícios. É uma evolução do treino cardíaco, cujo objetivo é acelerar os batimentos em pequenos intervalos. Basicamente, o HIIT é uma sequência de cinco minutos de aquecimento, 20 minutos de treino em si, com alguns tipos diferentes de atividades com ou sem equipamentos, e outros cinco minutos de desaquecimento.
"No entanto, como as demais modalidades, o HIIT não é unanimidade, apesar de ser bastante procurado. Quem faz são aquelas pessoas que querem resultados rápidos em pouco tempo, ou por que precisam emagrecer, ou por que têm pouca disponibilidade na agenda para praticar exercícios" ressalta Ayres. Ele afirma, ainda, que o cuidado do profissional de educação física na prática de modalidades como o HIIT é indispensável, já que a atividade de alto impacto e intensidade forte oferece grande risco de lesões.

Dançar para desopilar

Em alta também estão as tribos da dança, em diversas modalidades. Com o objetivo de emagrecer, ganhar força e agilidade, mas também de desopilar, são cada vez mais numerosas as turmas em atividades como o Fit Dance - aula voltada para treinar as coreografias de músicas da atualidade, que são executadas depois, em eventos e festas, ou entre amigos. Quem gosta de dançar também procura o Stiletto Dance, uma aula de dança feita de salto alto, um treino e tanto para arrasar no casamento daquele seu amigo.

Já consolidados, mas não menos tendência, são os grupos de atividade esportiva, como corrida, pedal ou crossfit. Organizadas, as tribos dessas modalidades são fiéis às suas práticas e ganham em condicionamento físico pela repetição frequente do exercício. "São raras as pessoas que praticam com regularidade muitas modalidades. Hoje, o dia é corrido, o pessoal faz malabarismo com o tempo para fazer atividade física. Por isso, a maior tendência ainda é a segmentação. E isso está cada vez mais fácil, já que todo dia aparecem novas opções para atender aos anseios de todo o tipo de praticante", destaca Ayres.

Enquanto um grupo de musculação termina de puxar seu ferro em um dos cantos da academia, as gurias da tribo do Low Pressure fazem mais uma posição antes de se despedir da educadora física Daniella Di Giorgio. Ao serem perguntadas se a técnica funciona, uma das alunas aponta a própria Daniella, de silhueta finíssima. "Ela teve bebê há menos de um ano e está assim. É claro que funciona", exclama Ariane Silveira, que pratica há três meses e garante que o efeito "seca barriga" é real.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia