Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Nutrição

- Publicada em 00h00min, 08/10/2018. Atualizada em 12h48min, 28/11/2018.

Equilíbrio na alimentação nunca sai de moda

Lanches rápidos podem ser feitos com itens saudáveis, como abóbora, manteiga ghee e ovos caipira

Lanches rápidos podem ser feitos com itens saudáveis, como abóbora, manteiga ghee e ovos caipira


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Low Carb-High Fat, jejum intermitente e dietas do Spa, da proteína, mediterrânea, Dukan, do tipo sanguíneo, da papinha, do suco que seca barriga ou paleolítica. Ufa! Quem tem interesse em emagrecimento e nutrição já se deparou com algum - ou todos - esses nomes. Quando o verão se aproxima, surgem fórmulas mirabolantes para nos fazer voltar ao peso ideal, compensando os costumeiros exageros do inverno. E aí vem a pergunta que deveríamos nos fazer sempre: será que funciona mesmo?
Low Carb-High Fat, jejum intermitente e dietas do Spa, da proteína, mediterrânea, Dukan, do tipo sanguíneo, da papinha, do suco que seca barriga ou paleolítica. Ufa! Quem tem interesse em emagrecimento e nutrição já se deparou com algum - ou todos - esses nomes. Quando o verão se aproxima, surgem fórmulas mirabolantes para nos fazer voltar ao peso ideal, compensando os costumeiros exageros do inverno. E aí vem a pergunta que deveríamos nos fazer sempre: será que funciona mesmo?
Especialistas e estudiosos de nutrição até comentam um ou outro efeito benéfico dessas dietas da moda, mas praticamente todos são unânimes em afirmar que somente uma dieta balanceada, baseada em um processo de reeducação alimentar permanente, pode assegurar efeitos satisfatórios e duradouros. E a tendência para se atingir esse equilíbrio é a personalização dos programas de nutrição.
"Novos estudos e pesquisas revelam que as dietas mais eficientes devem ser personalizadas, porque cada ser humano é único e se adapta melhor com determinados alimentos e hábitos. Não existe um programa alimentar bom para todo mundo. Adaptação e individualização são as palavras-chave da nutrição", afirma a nutricionista especialista em nutrição clínica e esportiva, Viviane Braz.
Segundo Viviane, o corpo humano tende a se adaptar com as dietas, o que causa a saturação dos programas alimentares muito restritivos. As dietas inspiradas nos spas, por exemplo, propõem uma ingestão baixíssima de calorias, entre 500 e 600 por dia. Isso leva o corpo a um estresse metabólico, o que causa um emagrecimento no primeiro momento. Em algum tempo, porém, o organismo se encarrega de baixar o seu metabolismo basal para se adaptar à quantidade restrita de alimentos. O resultado disso é parar de emagrecer e, pior, engordar com mais facilidade depois de suspender a dieta radical.
"Esses programas alimentares de impacto e restrição de calorias, como o jejum intermitente ou a dieta das proteínas, são eficientes durante um tempo. Mas a pessoa tem que saber que isso não é reeducação alimentar, esses hábitos não se sustentam no longo prazo", alerta.
A personalização da rotina alimentar, feita pelo profissional de nutrição, possibilita a adaptação da rotina ao que mais funciona para cada pessoa, individualmente. A velha regra de comer de três em três horas, por exemplo, não se aplica a todo mundo. Há quem não sinta necessidade, há quem não tenha tempo. O programa alimentar deve contemplar essas particularidades.
"Outro mito que vejo muito é a tal alimentação pré-treino e pós-treino. Isso não existe para quem tem uma dieta balanceada. A pessoa que se alimenta bem tem aporte de nutrientes ao longo do dia e não precisa ingerir uma bomba calórica antes de treinar", comenta Viviane.

Desafio maior do que contar calorias

Manter uma alimentação saudável e um peso adequado pode ser um desafio muito maior do que apenas seguir uma dieta. Muitos dos problemas com a comida são de ordem psicológica, cuja solução não se restringe às tabelas dos nutricionistas. Especialista em Nutrição Clínica e mestra em Envelhecimento Humano, a nutricionista Patrícia Tonial atua há mais de uma década na saúde pública e afirma que a relação das pessoas com a comida é muito mais complexa do que revela a balança.
"Muitos pacientes não têm coragem de revelar o que comem, outros nem têm noção do que comem. A comida é uma espécie de bengala, que funciona em momentos de tristeza, de ansiedade e de euforia. Esses distúrbios não são tratados apenas com reeducação alimentar, mas com acompanhamento psicológico e psiquiátrico", alerta Patrícia.
Hábitos como comer assistindo televisão ou usando o celular, por exemplo, são relatados com cada vez mais frequência no consultório de Patrícia. A pouca atenção à refeição faz com que o sujeito perca a noção da alimentação e só pare de comer quando sentir o estômago muito cheio.
Outro problema é a compulsão, que faz com que a pessoa devore uma caixa inteira de chocolates em pouco tempo, por exemplo. Uma equipe multidisciplinar, com médico e educador físico, além do nutricionista, é fundamental para lidar com casos desse tipo.
"Temos que entender que as pessoas não são gordas ou têm distúrbios alimentares por que querem. Existe um fator emocional muito forte envolvido com a alimentação. É preciso prestar atenção nisso para obter sucesso na reeducação alimentar e na conquista de um estilo de vida mais saudável", completa.

Dicas que estão sempre em alta

  • O prato colorido é garantia de sucesso. Quanto mais cor, maior a variedade de nutrientes.
  • A regra de ingerir pelo menos três porções de frutas durante o dia é sempre válida, salvo em casos específicos de doenças ou recomendações médicas. Elas nos dão energia, fibras e vitaminas de forma natural e na medida certa.
  • Todo mundo sabe, mas nunca é demais lembrar que beber água é fundamental. A quantidade pode variar, mas é ela que irá manter o corpo em equilíbrio e livre de toxinas.
  • O sono profundo e em quantidade suficiente é um dos maiores aliados da dieta. Dormir ativa os reguladores de apetite e do metabolismo, garantindo disposição e evitando a fome exagerada. Uma dica preciosa é parar de comer, pelo menos, três horas antes de dormir.
  • Comer de forma consciente é um grande passo em direção à alimentação saudável. O melhor é optar por frutas frescas no lugar de sucos industrializados, por cereais in natura no lugar de barrinhas e por comida feita em casa ao invés de pratos congelados. Gastar um tempo para planejar e preparar as refeições pode ter um resultado extraordinário na qualidade de vida.
  • Nada é proibido em nutrição. Muito menos as escapadas em eventos ou fins de semana. Elas são recomendadas, inclusive, em nome do convívio social. Basta não comer exageradamente.
  • Dietas que prometem milagres, infelizmente, são falsas. Ou escondem o esforço que será necessário para manter o peso conquistado. O verdadeiro caminho é a mudança de hábitos.
Fontes: Nutricionistas Viviane Braz e Patrícia Tonial
Comentários CORRIGIR TEXTO